domingo , 25 agosto 2019
Início / Policiais / IML atesta que causa da morte de bebê de 3 meses foi espancamento

IML atesta que causa da morte de bebê de 3 meses foi espancamento

O IML (Instituto Médico Legal) de Poços de Caldas (MG) atestou que o bebê Hiago Lourenzo, de apenas 3 meses de idade, morreu vítima de maus-tratos em Andradas (MG), na madrugada desta quarta-feira (27). Os pais da criança foram presos em flagrante e seriam levados ainda nesta tarde ao Presídio de Andradas, cidade onde o crime ocorreu.

Segundo um perito Cabral, em entrevista ao Jornal Andradas Hoje, a causa da morte da criança foi por “múltiplas fraturas dos arcos costais e traumatismo múltiplo. A criança seguramente foi vítima de maus-tratos e sofreu uma lesão contundente, uma lesão bem severa nos arcos costais, no pulmão e na cabeça – no crânio”, afirmou.

De acordo com o agente público, a criança passou pelo socorrista que, ao socorrer, “poderia causar algumas lesões, mas incompatíveis com as lesões de socorristas. O médico que fez a necrópsia, ele consultou os médicos, os anais da medicina, demorou para poder ponderar de que realmente trata-se de homicídio, que a criança foi vítima de morte violenta”, completou. Conforme o perito, o bebê levou várias pancadas pelo corpo.

O caso foi levado ao Plantão Policial de Andradas ainda pela madrugada e o corpo do bebê encaminhado ao IML de Poços de Caldas, para que exames necroscópicos apontassem a causa da morte.

Agora, a Polícia Civil andradense dará prosseguimento no caso com o indiciamento do casal, possivelmente pelo crime de homicídio doloso – quando há intenção de matar.

ENTENDA O CASO

A morte violenta praticada contra o bebê Hiago Lourenzo, de apenas 3 meses de idade, foi levantada após o agente de uma funerária da cidade recusar preparar o corpo da criança ao suspeitar de maus-tratos.

Segundo o jornal “O MUNICIPIO “,  o próprio agente funerário constatou indícios de lesões na cabeça e no tórax do bebê quando foi prepará-lo para o velório e acionou a Polícia Militar, que ouviu os pais da criança.

De acordo com a Polícia Militar, uma equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionada por volta de 1h30 da manhã, depois que a mãe, de 19 anos, observou que o filho não estava respirando.

Conforme apurado, a mãe teria contado aos pms que estranhou o fato da criança não chorar para mamar e foi verificar o que estava acontecendo, quando constatou que o bebê não respirava.

Em contato com o Samu, a mãe foi orientada a fazer massagem cardíaca até a chegada da equipe no sítio onde a família mora. Enquanto isso, o pai, de 23 anos, aguardava na estrada pelo socorro.

O bebê Hiago foi levado imediatamente ao Pronto-Socorro Municipal, mas não resistiu. Ainda na unidade de saúde, o médico de plantão teria relatado que não percebeu nenhuma lesão na criança e que ficou sabendo do fato após o contato do agente funerário.

Ao serem questionados sobre os indícios de lesões, os pais contaram que na última quarta-feira (20), a criança teria se ferido no momento em que a mãe penteava o cabelo do bebê. Segundo ela, a ponta do pente teria quebrado e a ‘garra’ causado uma pequena lesão na cabeça da criança.

O caso foi levado ao Plantão Policial de Andradas e o corpo do bebê posteriormente encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) de Poços de Caldas para que exames necroscópicos.

 

Fonte: O Municipio

Confira também

4.500 animais já foram vacinados na cidade

Meta da Zoonoses é vacinar o dobro desse total até o dia 8 de setembro, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *