quarta-feira , 18 setembro 2019
Início / Regionais / Região tem pior taxa de doadores de órgãos

Região tem pior taxa de doadores de órgãos

Região tem pior taxa de doadores de órgãos

Na região do DRS, inclusive São José, maioria dos que morrem não pode doar

 

A região de São João da Boa Vista tem a pior taxa de doadores de órgãos e tecidos para cada milhão de habitantes no Estado de São Paulo. Segundo o Sistema Estadual de Transplantes, esse é um dos motivos que faz com que a espera na fila seja mais longa. A média é de 3,6 doadores para cada 1 milhão de habitantes, enquanto que no Estado o número é de 20,54. Outras regiões também estão abaixo disso, mas melhores que a região da São João: na de Piracicaba, 8,4 doadores por 1 milhão, seguida de Araraquara, com 13,9 por 1 milhão.  Para mudar essa realidade, é preciso conscientizar as pessoas e tentar aumentar o número de doadores.

Uma explicação para o baixo número de captação nas 20 cidades atendidas pelo Departamento Regional de Saúde (DRS) de São João é que a maior parte das pessoas que morrem não pode doar. “Devido ao perfil de pacientes da nossa UTI, que tem um perfil de paciente mais idoso”, disse a gerente de enfermagem da Santa Casa, Juliana Mousessian Goulart.

Outra questão que dificulta que as doações sejam efetivadas é o preconceito. “Falta muita informação e também o preconceito da família em relação à doação, porque existe muito mito, crença, que dificultam a doação de órgãos”, explicou a enfermeira Laura Angelini Merlin.

A médica nefrologista Ana Paula Mendes ressaltou que os protocolos são extremamente rígidos para diagnosticar a morte encefálica e que o procedimento é feito por vários médicos. “Então não existe um beneficiamento como algumas pessoas acham. São vários protocolos a serem seguidos, nenhum órgão é retirado sem uma condição de certeza de morte encefálica”.

Em uma clínica de tratamento renal em São João da Boa Vista, cerca de 30% dos pacientes aguardam por um transplante de órgão.

O aposentado Joaquim José da Silva faz hemodiálise há quatro anos. Ele está cheio de esperança que a fila ande mais rapidamente. “Que venha para todo mundo, é questão de aguardar, ter paciência para esperar, acreditar inclusive”, disse.

Para a cozinheira Hellen Cristiano Paina, de 40 anos, a espera é angustiante. Ela não vê a hora de ganhar um rim novo, já está na fila de espera há um ano e quatro meses. “Seria como renascer outra vez, poder voltar a ter a vida normal”, disse.

Já o primo da promotora de eventos Sílvia dos Santos morreu antes de receber o fígado. Ele ficou dois anos na fila de transplantes. Ele não foi a primeira pessoa da família dela que esperou muito por um transplante de órgão.

O pai conseguiu a doação de um fígado, mas em outra cidade. “Foi demais para ele (primo), tanto que ele faleceu com 42 anos. O transplante do meu pai foi feito em São Paulo no Hospital Albert Einstein”, contou.

Pacientes renais crônicos estão entre os que esperam doações de rins para transplantes

 

Jadson, do Corinthians, na Festa da Batata em Vargem

Jadson, meia do Corinthians, chegou à cidade de Vargem Grande do Sul no dia 28 de setembro, com sua esposa Renata. O jogador foi convidado pelos amigos Fábio Cachola, pelo empresário Ari Silva, da Rodoxisto e sua esposa Marlene, que o hospedaram em sua casa.

Recepcionado por um churrasco feito por Fábio, que contou com a presença de seus amigos mais próximos, inclusive o prefeito Amarildo Duzi Moraes (PSDB).

No sábado, dia 29, Jadson esteve presente no camarote da Festa da Batata junto com seus amigos. O jogador e sua esposa se despediram de Vargem no domingo, dia 30.

FOTO Jadson (Foto: Gazeta de Vargem)

Jadson, do Corinthians, participou da Festa da Batata

 

 

Na tarde desta sexta-feira (5) aconteceu o lançamento do programa de segurança Poços Mais Segura. O evento ocorreu na nova base da Guarda Municipal, recém-instalada na Estação Mogiana/Fepasa. O Poços Mais Segura marca a reativação do Gabinete de Gestão Integrada Municipal, que reúne os órgãos de segurança que atuam no município. “O Poços mais Segura vai reunir Polícia Militar, Polícia Civil, Guarda Municipal, Comissariado de Menores, promotores, juízes, conselhos tutelares, enfim, juntaremos nossas forças para que a população volte a ter mais segurança. É um projeto que lançamos agora em 2018 e que será concluído até o final de 2019, com a completa instalação do videomonitoramento em toda a cidade”, explicou o prefeito Sérgio Azevedo.

O delegado da Polícia Civil, Gustavo Mazoli, destacou a importância da cooperação entre as unidades de segurança. “Essa integração é fundamental. A Polícia Civil é parceira e vamos fazer adequações para integrar a equipe que vai fazer parte desse projeto.” O primeiro passo do Poços Mais Segura inclui uma otimização do trabalho da Guarda Municipal, com a aquisição de quatro novas viaturas e quatro motocicletas e também a implantação da patrulha via bicicleta. Outra importante ação é a instalação de totens e luminárias com câmeras em diversos pontos da cidade, numa parceria com o DME. Uma delas já está sendo instalada no começo da avenida João Pinheiro, em frente a base da Guarda, e ajudará a identificar carros roubados e outros tipos de crimes e infrações. O programa prevê também a criação de três postos avançados, além do central, um em cada região da cidade. O da zona sul vai funcionar no Centro João Monteiro, o da zona leste, no campo do bairro Santa Rosália, e, o da zona oeste, na Rodoviária. “Todos são prédio próprios, sem custo com aluguel, e, assim, devolvemos mais um imóvel alugado, onde funcionava até então a sede da Guarda, num valor mensal de R$ 8 mil reais. Este valor será investido em melhorias para a própria Guarda Municipal”, ressaltou o prefeito. Está prevista ainda a realização de mais blitzes e rondas em parceria com a PM para combater o tráfico de drogas. Nas escolas, a ronda vai voltar. “A ronda vai ser com presença dos GMs até a completa instalação do videomonitoramento”, informa o secretário de Defesa Social, Marcus Sansão. Para aumentar o efetivo da Guarda, a Prefeitura vai lançar um concurso público para a contração de novos GMs no início do próximo ano. Estão previstas 30 novas vagas. Atualmente, a cidade conta com 80 guardas municipais.   – Veja mais em: http://jornaldosabado.com.br/?pg=notl&id=8037

Confira também

Próxima ao final da safra, cebola mantém preço bom

Saco de 45 quilos está em R$ 80 na roça e já chegaram dois carregamentos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *