quinta-feira , 1 outubro 2020
Início / Meio Ambiente / Caconde proíbe entrada de banhistas em represa por suspeita de contaminação
Represa de Caconde ( Foto: G1)

Caconde proíbe entrada de banhistas em represa por suspeita de contaminação

A Prefeitura de Caconde (SP) proibiu a entrada de banhistas na represa Graminha, que está interditada por suspeita de contaminação. Segundo o município, desde quarta-feira (16), as águas estão esverdeadas e, em alguns pontos, com mau cheiro, podendo oferecer perigo à saúde pública.

Procurada, a assessoria de imprensa da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) informou que a represa é gerenciada pela empresa de energia AES Tietê e que as licenças ambientais foram concedidas por órgãos federais.

Em nota, a AES Tietê informou que a coloração da água está relacionada à proliferação exacerbada de algas por causa de poluição, mas que não tem poder de fiscalização nesses casos.

Em nota publicada nas redes sociais do município, a prefeitura informou que a água se transformou em “um tipo de cola verde e fétida” e se referiu à situação como “trágica”.

De acordo com a prefeitura, os banhistas estão proibidos de acessar a região conhecida como prainha até a altura do bambuzal.

Disse ainda que a situação é questão de saúde pública e a determinação é uma prevenção até que tenham um resultado da análise da água.

Segundo a nota, os piscicultores, produtores rurais, empresários às margens da represa, pescadores, turistas, e os animais que vivem no local foram prejudicados.

A situação, segundo a prefeitura, já foi informada a todos os órgãos responsáveis.

Fonte: G1

Confira também

Começa a primavera e a cidade fica mais bela

Folhagens das árvores e flores mais bonitas atestam que já estamos na nova estação Ruas …

1 Comentário

  1. Boa tarde. Eu frequento a represa de Graminha faz mais de 20 anos. Todos os anos na época do calor (setembro em diante), principalmente quando a represa está muito abaixo do seu nível normal, essas algas aparecem.
    O local de origem dessas algas é sempre abaixo da Hidrelétrica do Rolador, Rio Lambari, na cabeceira.
    É notável ano após ano, que o rio Lambari está muito poluído pelo esgoto não tratado de Poços de Caldas. É muito lixo que desce pelo rio Lambari.
    Quando o nível da represa de Graminha baixa muito, essas algas acabam descendo perto da barragem em Caconde por força dos ventos e da correnteza dos rios.
    Nota: não observamos essas algas perto do Bairro de Palmeiral, pois lá o rio Pardo está com as águas limpas, sem poluição.
    Tomem iniciativa urgente de tratar o esgoto de Poços de Caldas, senão o problema só tende a aumentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *