quarta-feira , 11 dezembro 2019
Início / Cidade / ‘Choque de gestão’ cobra resultados dos secretários
Hélio Escudero e prefeito Ernani em reunião

‘Choque de gestão’ cobra resultados dos secretários

Eles, diretores e coordenadores devem resolver problemas, pois podem ser substituídos

A administração municipal precisa de um “choque de gestão” na parte administrativa, razão pela qual foram já trocados alguns ocupantes de cargos após a volta de Hélio Escudero à Secretaria de Gestão. A fase atual, segundo ele, é a de colocar pessoas certas à frente dos serviços mais requisitados pela população e apresentar os resultados que os moradores esperam. “Se isso não ocorrer, os ocupantes de tais cargos serão substituídos”, diz Escudero.

Estas foram as diretrizes das duas reuniões que o prefeito Ernani Vasconcellos e o secretário Hélio Escudero realizaram nas duas últimas semanas, ambas na sala anexa ao gabinete do prefeito. A primeira reunião foi com todos os secretários municipais e ocorreu na semana passada; a segunda aconteceu no início desta semana e foi com os diretores de departamentos e coordenadores.

Nos dois encontros o objetivo foi duplo: que os participantes externassem suas dificuldades e reivindicações e, por outro lado, que soubessem que a partir de agora serão mais cobrados. A administração sente que precisa mudar em várias coisas, especialmente no atendimento às solicitações básicas da população. Ao mesmo tempo, percebe que precisa divulgar melhor o que vem sendo feito de positivo na cidade.

Escudero conta que foi passado aos secretários e diretores/coordenadores as reivindicações mais comuns da população, que nem sempre são grandes, mas que necessitam ser atendidas: mato que precisa ser cortado, lixo que precisa ser recolhido, água que deve chegar limpa aos lares,  lâmpada de poste que necessita ser trocada, buracos que precisam ser cobertos, etc.

“Sempre falo que o que a população exige do poder público é pouca coisa e a gente é funcionário dela, devendo prestar-lhe este tipo de trabalho. Se a gente concordou em assumir um cargo deste, de confiança da administração, a gente tem que estar envolvido com isso e saber dessas coisas, dessas necessidades que a população tem e procurar resolver”, disse o secretário. “E procurar resolver rápido, não é deixando para depois”.

Comprometimento

Ele deixou claro que se os problemas solicitados pelos moradores não forem resolvidos, a ideia da administração é que os responsáveis pelo setor sejam substituídos por pessoas que realmente assumam o cargo e prestem um bom trabalho à população (grifo do jornal). “Isso, independentemente de cunho partidário, de gostar ou não de um ou de outro. Se está na administração, tem que trabalhar em benefício dela e prestar bons serviços à população”, reiterou. “É isso que foi exigido de cada um, tanto dos secretários como dos ocupantes do segundo escalão”.

Escudero assegurou que, como secretário de gestão, ficará atento a isso. Os setores que tiverem reclamações serão cobrados sobre o motivo da não solução dos problemas, embora, segundo ele, sempre levando em conta também as dificuldades enfrentadas. “Mas, daqui pra frente, esse choque de gestão a gente vai passar a cobrar e ficar mais atento a isso para que se possa melhorar esse trabalho à população”, repetiu.

Contas em dia

O secretário acha que a administração municipal até que tem feito, sim, muita coisa em São José do Rio Pardo, levando-se em conta as dificuldades pelas quais o país e, em especial, os municípios atravessam. Lembra que há Prefeituras que ainda sequer pagaram o décimo-terceiro salário de 2018, enquanto as contas da Prefeitura rio-pardense estão em dia.

“Não devemos nada das contas de 2018 e estamos procurando pagar os serviços realizados com, no máximo, uma margem de 15 dias. Os funcionários estão recebendo salários em dia e até uma parte do décimo-terceiro, quando fazem aniversário, também é pago. O Instituto Municipal de Previdência, que era um gargalo e tinha uma dívida imensa, ela foi toda parcelada e hoje estão sendo pagos não só os parcelamentos como os repasses atuais”.

Buracos: situação crítica

Hélio reconheceu, mais uma vez, que a situação da cidade no tocante aos buracos é crítica, sendo impossível soluciona-los de imediato. Culpou administrações passadas e empresários que fizeram loteamentos sem infraestrutura adequada, caindo tal problema nas costas da gestão atual.

“Estamos fazendo o que é possível nessa questão. As chuvas atrapalharam e a pior coisa para o asfalto é água, porque se você coloca os produtos lá, perde os serviços com a chuva. Entramos num programa de recapeamento do governo estadual e procuramos recapear as ruas principais, pelas quais passam os ônibus circulares. Temos agora uma emenda do deputado Silvio Torres no valor de 1 milhão de reais e, por ela, pretendemos recapear a Perimetral, saindo da Usininha até o trevo da avenida Euclides da Cunha. Temos mais um recurso do Silvio Torres de 750 mil reais para fazer recape nas ruas principais do Distrito Industrial. Estamos fazendo o que é possível”.

Confira também

D.E.R. não fará rotatória entre a av. Belmonte e a Perimetral

Informações que chegaram ao jornal esta semana a respeito da possível construção do trevo na …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *