terça-feira , 10 dezembro 2019
Início / Agricultura / Trigo de qualidade no município compensa perdas da agricultura
Área da qual fez parte a safra de trigo dos Orfei neste ano, colhida recentemente

Trigo de qualidade no município compensa perdas da agricultura

Família Orfei plantou 120 hectares este ano, colheu mais de 300 toneladas e aprovou o produto

A família de Antônio Aparecido Orfei, o Nei Orfei, é um dos principais produtores de trigo em São José do Rio Pardo. Após experimentarem o fracasso no preço da cebola cinco anos atrás, decidiram que estava na hora de partirem para outros produtos. Optaram então pelo trigo.

E o trigo colhido pelos Orfei vem sendo considerado “tipo 1” nas análises feitas por empresas especializadas, ou seja, é um produto de alta qualidade. Os Orfei produzem trigo no município há 4 anos e terminaram de vender a safra de 2019 há poucos dias.

Em entrevista a Paulo Sérgio Rodrigues, Nei diz que a área plantada este ano chegou a 120 hectares de terra. Como o trigo, para efeito de comercialização, não é medido por sacas colhidas e sim por toneladas, Nei explica que a safra deste ano produziu mais de 300 toneladas – mais de 3 toneladas por hectare. Uma tonelada estava sendo vendida esta semana no Brasil a R$ 870 ou US$ 212, já que o trigo é cotado no mercado internacional pelo dólar.

Foram a Minas

“É essa média de produção que vem dando desde quando iniciamos o plantio de trigo e esse resultado é considerado uma boa produção”, assegura ele. “Como não havia maneira de só plantar cebola na terra, por conta do custo muito alto, e para a terra não ficar com os pivôs parados, fomos até Minas Gerais, vimos a produção de trigo lá, gostamos e decidimos experimentar aqui. Graças a Deus, em todos esses anos tivemos uma produção boa e uma qualidade muito boa também”.

Como em toda e qualquer cultura agrícola, o trigo, segundo ele, precisa de uma qualidade adequada para ser aceito pelo mercado consumidor. “Se não tiver qualidade, o trigo só serve para ração”, observa Nei. “E o preço, mesmo tendo uma qualidade boa, depende muito da produção no país e, principalmente, na Argentina, que é o principal produtor de trigo”.

Nei ressalva que o trigo não trouxe grandes lucros para os Orfei nestes 4 anos de plantio, mas também não deu prejuízos como a cebola. “Ele sempre deu um retorno para nós, mesmo não tendo dado muito lucro”, confirmou, explicando ainda que a semente é plantada entre março e abril, com a colheita sendo iniciada no final de julho e acabando no início de setembro.

Método

O método de plantio seguido pelos Orfei começa com o uso das grades para abrir as áreas nas quais o produto será semeado; em seguida, as semeadeiras de adubo são usadas no solo de terra já mexido, acompanhadas de nova passadas das grades.

É feita em seguida a pulverização com trator para matar o mato e o trator também é usado para fazer a cobertura do que foi semeado. “Na produção do trigo a gente não usa mão de obra, só o maquinário”, observou o agricultor, lamentando que isso seja assim, mas lembrando que tal método vem usado no Brasil todo.

Custo de produção

O irmão de Nei, Ari Orfei, detalhou os custos atuais de produção do trigo no município, por hectare plantado. Segundo ele, 200 quilos de sementes custam R$ 400; 200 quilos de adubo, também R$ 400; a irrigação da terra e a pulverização com veneno para matar pragas, R$ 600; a colheita e o frete do trigo colhido, R$ 800. No total, cada hectare de terra plantado com trigo chega a um custo de R$ 2.200.

“Se houver uma produção média de 3 toneladas de trigo por hectare e a venda for pelo preço de R$ 900 por tonelada, o lucro líquido do produtor por hectare colhido será de apenas R$ 400. Agora se a produção média for de 4 toneladas por hectare, o lucro será de R$ 1.400 por hectare colhido”, concluiu Ari Orfei.

Ari e Nei Orfei são parceiros no plantio e colheita de trigo em São José do Rio Pardo

Confira também

Prazo para cadastro biométrico acaba dia 19

Eleitores que não realizarem o recadastramento terão o título cancelado O recadastramento biométrico está quase …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *