sexta-feira , 27 novembro 2020
Início / Cidade / Museu Rio-pardense será reinaugurado em outubro

Museu Rio-pardense será reinaugurado em outubro

Uma exposição com trabalhos de Benê Trevisan está sendo preparada para a reinauguração

Cristina Andrade, curadora do Museu Arsênio Frigo, e Ana Paula Lacerda, diretora municipal de cultura, foram entrevistadas por Luis Fernando Benedito no Jornal do Meio Dia (Difusora) na quarta-feira. O assunto principal da entrevista foi a reforma do Museu, que está fechado desde novembro de 2018 e que agora, já tendo concluída essa etapa, tem uma previsão de inauguração: segunda quinzena de outubro.

A curadora do Museu lembrou na entrevista que a reforma deveria durar, inicialmente, apenas seis meses. Mas, segundo ela, verificou-se depois a necessidade de se fazer um trabalho mais completo, que abrangesse a troca de tudo o que estava deteriorado: piso, telhado, instalação elétrica etc. Essa etapa terminou e o prédio está praticamente pronto.

Ana Paula confirmou isso e disse que “a obra maior já foi entregue” pela empresa responsável, “mas agora serão feitos outros reparos”. “Estamos pensando em cada detalhe para a reinauguração do Museu, que precisa estar não apenas seguro, mas visualmente bonito”, afirmou.

A reforma teve um orçamento de R$ 249 mil, que Cristina e Ana Paula afirmam ter sido insuficientes, embora tenham suprido a maior parte das obras. “Faltaram alguns detalhes, mas a verba deu para fazer o essencial”, disseram. Itens de segurança, por exemplo, não constavam do cronograma inicial dos trabalhos e foram acrescentados depois.

Acervo do Museu

Cristina explicou o acervo do Museu: “Ele tem a parte histórica, que é a sala que estava fechada e agora vai voltar. Tem objetos da época do café, da constituição de 32 e das exposições que fazemos periodicamente sobre a revolução de 32, sobre a guerra de Canudos e outros temas. Nos últimos 7 anos fizemos 30 exposições e, quando reinaugurarmos, faremos uma sobre trabalhos do Benê (Trevisan)”.

Ambas enfatizaram que ir ao Museu e contatar seu acervo é viajar pelo tempo, conhecer o passado da cidade e mesmo do país em que vivemos, pois ali está guardada a memória do município e de toda uma cultura responsável por aquilo que São José do Rio Pardo e a nação são atualmente.

Dois museus

Ana Paula revelou, durante a entrevista, que é representante regional do Sistema de Museus do Estado de São Paulo e que poucas cidades da região têm museus. “Somos privilegiados porque temos dois museus (o Museu Rio-pardense e a Casa Euclidiana) e ambos, quando temos visitas técnicas de pessoas do Sistema de Museus, são considerados bem adequados, dentro das nossas possibilidades”.

Hemeroteca

Cristina tem ficado na Hemeroteca durante esse período da pandemia, dando sequência ao trabalho que vinha sendo desenvolvido por Marlon Callegari, que faleceu há pouco tempo. Na Hemeroteca há a preservação de documentos históricos, os quais passam por um processo inicial de higienização e depois pela fase de digitalização. Uma parte dos jornais antigos da Gazeta do Rio Pardo está lá, assim como de outros periódicos locais.

Eventos do Natal

A diretora de cultura mencionou que a parte cultural do final de ano já está sendo organizada, ainda que não haja possibilidade de eventos presenciais como antes. “Estamos estudando criar uma Vila do Papai Noel na forma drive thru para as pessoas visitarem. Também pensamos em apresentações culturais online, com espetáculos, teatro e contação de história. Estamos reformulando o nosso Natal, de forma que ele não passe em branco para a cidade porque é uma data diferenciada. Ainda mais este ano, com a situação tão difícil, tão complicada e triste. Não poderíamos deixar de fazer isso para a população”.

Cadastro de Artistas

Ana Paula explicou que há gente de vários grupos artísticos e culturais que a estão procurando com o intuito de colaborar com esses eventos de final de ano. Lembrou que o Cadastro de Artistas, aberto este ano para que os interessados pudessem dar seu nome e se candidatar a recursos governamentais, teve um total de 222 inscritos.

Segundo ela afirmou, ainda deve haver mais pessoas na cidade com potencial para fazer parte desse cadastro, mas que não deram seu nome. Contatos, sugestões ou mesmo críticas sobre a cultura local podem ser feitos no site casaeuclidiana.org.br , além do Facebook Cultura Riopardo.

Confira também

Rodrigo Ribeiro, o “Buiu”, fala sobre referência negra, racismo, e projeto pessoal

Para ele, lei deveria ser mais severa com relação ao racismo No dia 9 de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *