segunda-feira , 21 junho 2021
Início / Cidade / Lei Aldir Blanc: auxílio será pago até dezembro em parcela única
Ana Paula Lacerda, diretora municipal de cultura e Renata Aga, coordenadora

Lei Aldir Blanc: auxílio será pago até dezembro em parcela única

Inscrições poderão ser feitas até o dia 20 de novembro

Ana Paula Lacerda, diretora de cultura  e Renata Cristina Aga, coordenadora, foram entrevistadas por Luis Fernando Benedito na rádio Difusora, durante o “Jornal do Meio Dia”, no dia 13 e novembro, para falar sobre o andamento da lei federal Aldir Blanc na cidade, que garante auxílio emergencial aos profissionais da cultura. As inscrições foram abertas no dia 11 de novembro e o prazo é até dia 20 desse mês.

Divulgação dos editais

“A Lei Aldir Blanc passou por um processo longo não só no município mas em todo Brasil. Até conseguirmos a regulamentação do governo federal, passamos por todos os processos e agora estamos em uma etapa importante que é a divulgação dos editais aqui no município. Por meio desses editais faremos a distribuição da renda emergencial para os trabalhadores da cultura de nossa cidade”, relatou Ana.

Do dia 21 de novembro até o dia 30, a comissão irá avaliar quem são as pessoas e os projetos que serão comtemplados. No dia 5 de dezembro vai sairá a homologação dos aprovados. “Logo após a homologação, será questão de dias para realizar o pagamento”, afirmou a diretora.

Incisos

“Para participar do inciso II, a pessoa tem que ter feito o cadastro municipal.  No inciso III não precisa necessariamente ter feito. O edital está lançado para todos que quiserem fazer”, disse Renata.

O inciso II, que é o edital nº01, trata dos espaços culturais, comtempla os ambientes que promovem cultura na cidade. “Escolas de dança, estúdio de fotografia, audiovisual, entre outras coisas”, especificou Renata.

O edital nº02 se refere ao inciso III da lei Aldir Blanc, que abrange aos trabalhadores de cultura de um modo geral. “Estudamos bastante para fazer essa verba chegar de forma simplificada aos trabalhares. Fizemos por meio de premiação. Abrimos uma premiação, nosso edital se chama Prêmio Cultura Rio Pardo, que vai contemplar diversas linguagens artistas , dança, música, teatro, circo, audiovisual, literatura. No edital está tudo explicado. Durante a inscrição a pessoa irá descrever qual o projeto dela para ver se será ou não aprovado pela comissão”, informou Ana.

Módulos de valores

Os editais foram separados por módulos de valores. O artista deverá inscrever seu projeto no valor que corresponde ao investimento necessário para realiza-lo. Após a inscrição, a comissão irá avaliar. “Todos os projetos precisam dar uma contrapartida para o município, não para a prefeitura, mas para a cidade em si. É preciso que a pessoa demonstre seu trabalho para a comunidade rio-pardense”, acrescentou a diretora de cultura.

O montante enviado para São José do Rio Pardo é de R$403.000,00. O auxílio será pago em parcela única.

Para obter mais informações e consultar os editais é só acessar o site www.saojosedoriopardo.sp.gov.br/leialdirblanc .

“Até dezembro todos os aprovados serão pagos. Recebemos cerca de 200 inscrições, mas não sabemos ainda quantas serão aprovadas”, disse Ana Paula.

Para cessar dúvidas, envie um e-mail para leialdirblancsjriopardo@gmail.com, ou entre em contato pelo telefone da Casa Euclidiana (19)3608-1022.

Balanço anual

“É a primeira vez que a cidade está fazendo projetos via editais, que está fomentando a cultura. É uma oportunidade muito bacana para a cidade. Temos que abraçar isso, trabalhar juntos e mostrar tudo o que a cultura da cidade tem a oferecer. Espero que uma nova história seja escrita para a cultura de nossa cidade”, comentou Ana.

Para ela, foi um ano de bastante aprendizado. “Por conta da pandemia, repensamos muitas coisas. Apesar de tudo nós conseguimos realizar alguns feitos para a cidade que não conseguiríamos de outra forma. A própria criação do Conselho Municipal de Cultura é um passo muito grande para a cidade. É uma forma de democratizar o acesso dos artistas, dos produtores locais ao que a cultura vem fazendo e do que poderá ser feito. Essa questão da Lei Aldir Blanc ter vindo para a cidade, apesar da verba ter chegado em uma circunstância desagradável, veio para ajudar muito. Veio para mostrar que a cultura é importante para todos, e que é um meio de vida”, comentou.

Confira também

Com falta de vacinas, estudo clínico avalia eficácia de meia dose da AstraZeneca

Pessoas com neuropatias crônicas foram inseridas no grupo prioritário de vacinação O Brasil atingiu 500 mil …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *