sexta-feira , 18 setembro 2020
Início / Cidade / Cultivo de plantas ornamentais tem aumentado na cidade durante a pandemia
O nome suculenta se dá pelo acúmulo de água que a planta possui em suas folhas

Cultivo de plantas ornamentais tem aumentado na cidade durante a pandemia

Segundo designer floral, a suculenta é uma das plantas mais procuradas no mercado, pela facilidade em seu cultivo 

Em tempos de pandemia, muitas pessoas têm adquirido novos hábitos para lidar com o isolamento social e ocupar o tempo livre que passam em casa, mesmo após o trabalho. Segundo a designer floral, paisagista e laguista, Carina Neroni, de São José do Rio Pardo, a busca por projetos de jardinagem está três vezes maior do que antes do início da quarentena. Enquanto em um mês ela se dedicava a um projeto específico, durante a pandemia, ela desenvolve aproximadamente quatro projetos por mês, além do aumento pela busca de orçamentos.  Carina concedeu uma entrevista à Gazeta do Rio Pardo para falar sobre os cuidados com as plantas mais comuns, que têm sido adquiridas pelas pessoas durante o isolamento, como por exemplo, a suculenta, que é uma das mais procuradas no mercado.

Aumento no cultivo de plantas

“Em tempos de confinamento, dentro de nossas próprias casas, nos vemos com tempo livre de sobra. Nos primeiros dias é até confortável ficar dentro de casa, dormir até mais tarde, ler um livro ou assistir uma série. Mas no decorrer dos dias isso acaba se tornando entediante, e é onde pessoas hiperativas acabam encontrando trabalhinhos domésticos extras para fazer. Muitas pessoas, principalmente com parentes que tiveram uma vida associada à zona rural, têm uma grande apreciação pelas mãos sujas de terra e pelo ato de plantar uma simples flor. Outras nem tanto, porque temem pelo fato de comprar uma planta e não conseguirem cuidar. Mas a essas pessoas pode ser dito que está tudo bem, desde que estas busquem informações da planta que almejam possuir em casa”, disse.

“Jardinagem está entre os maiores hobbies do mundo, uma vez que lidar com a terra, observar o desenvolvimento da planta, desencadeia um processo terapêutico naquele que o pratica.  Essa prática faz com que as pessoas aliviem o estresse, descarreguem suas energias negativas e se sintam bem buscando esse pequeno contato com a natureza. O ser humano é um ser que pertence ao meio natural, como ele vive em meio urbanizado repleto de tecnologias, construções, automóveis, poluição e cacofonia, entrar em contato com o ambiente natural faz com que ele perca toda essa sensação ruim do meio urbanizado. Uma vez que um ambiente verde proporciona ar puro e fresco, harmonia visual, interações entre os animais e o ser humano, tal como o ato de passarinhar, que significa observar os pássaros. O que é mais do que provável, pois um jardim com determinadas espécies atraem certos tipos de pássaros. Por exemplo a flor russélia (Russelia equisetiformis) atrai vários tipos de beija-flores”, completou.

“Para os práticos que pretendem ter um ambiente harmonioso em casa, a busca por um paisagista tornou-se uma alternativa cobiçada atualmente. Tudo isso devido à percepção que as pessoas estão tendo ao passarem mais tempo em casa observando tudo ao seu redor, ansiando por melhorias e qualidade de vida. Procurar um paisagista é mais seguro para aqueles que planejam um jardim, o profissional sabe com lidar com a junção de espécies diferentes de plantas e sabe todas informações necessárias para criação e funcionamento de um jardim.  Mas muitos, infelizmente, não possuem um espaço para a construção de um. Aqueles que amam plantas, mesmo assim, apostam no cultivo em vasos. O que é mais prático e também válido”, relatou Carina.


Carina Neroni, designer floral, paisagista e laguista

Suculentas

“A plantinha da moda agora é a suculenta, com milhares de variedades, de fácil cultivo e encantadoras. O que antigamente fazia-se com violetas, hoje se faz com suculentas. Muitas pessoas gostaram tanto dessa planta que investem constantemente na compra de vários tipos a fim de formar uma coleção.  É uma planta que necessita de poucos cuidados, um pouco de água, duas ou três vezes na semana e uma incidência solar constante já basta para ela. O nome suculenta se dá pelo acúmulo de água que a planta possui em suas folhas. Elas têm a capacidade de armazenar água para serem mais tolerantes a seca. Na verdade, as suculentas não gostam de excesso de água, pois suas raízes apodrecem mais fácil que as outras plantas, devido ao fato de serem parentes do cacto”, explica.

“Devemos ter em mente, que a maioria das plantas que compramos, são cultivadas em ambiente de luz difusa ou sombra total (de baixo de estufas com um sombreamento), mesmo as plantas de sol, mas há exceções. Isso não é exatamente uma regra, mas vale pra maioria das plantas. Sabendo disso, mesmo que aquela suculenta, que é uma plantinha que se mantém com pouca água e com sol direto, está mal acostumada por ter sido cultivada em um viveiro que não exige tanta resistência ao sol e a pouca água. O fato delas não gostarem muito de água, não significa que devemos deixá-las morrer de sede”, afirmou.

Dicas e cuidados

“É sempre bom pesquisar e se informar antes de iniciar seus cuidados específicos. Por isso duas dicas: quando comprar sua suculenta, lembre-se que ela foi muito mal acostumada, recebendo um cuidado além do que ela precisava para se desenvolver mais rápido. Por isso, faça o “desmame” dessa plantinha. Irriguem apenas quando a planta estiver com a terra seca. Para saber se  está seca, teste com seu dedo indicador colocando dentro da terra sentindo a umidade, mas com cuidado para que não quebre suas folhinhas frágeis. E aos poucos vá reduzindo a frequência de irrigação; intercale os dias da semana e assim por diante”, explicou.

“A segunda dica: acostume a planta lentamente à exposição solar. Comece colocando em lugares onde pega o sol da manhã, a luz difusa da tarde, e aos pouco a exponha ao sol direto.

Há suculentas que mudam de cores somente quando expostas ao sol. Você pode comprá-la sendo verde, mas expondo ao sol, ela pode muito bem mudar de cor”, destacou.

Muda de suculenta

“A maioria se reproduz facilmente por folhinhas que caem na terra, e dali surgem mini suculentas que vão crescendo até terem um porte adulto. Outras são mais difíceis, às vezes quebrando um galhinho e plantando na terra, também garantirá que sua plantinha brote. Há também o plantio de sementes de suculentas, mas devemos nos atentar onde compramos, pois há lugares não muito confiáveis para se adquirir. O ideal seria contatar um vendedor de sementes especializado ou um produtor conhecido.

Como toda planta de sol, a suculenta em lugares escuros ou com pouca iluminação, crescerá demais e perderá suas formas naturais por se ‘esticarem e se contorcerem’ em direção ao sol. Muitas pessoas por não conhecerem acabam achando a planta assim bonita, mas com certeza não está, pois ela está em busca de um pouco de sol e toda sua real forma se perde nessa necessidade.

Se você ganhou um terrário com suculentas, ou um pote sem furos para a drenagem de água, não se desespere. Borrifar água também mantém a planta hidratada, mas devemos nos atentar às condições de temperatura do ambiente, uma vez que muito calor fará com que ela desidrate mais cedo. Atente-se ao tamanho da planta, quando muito grande, divida os brotos em vasos diferentes e coloque a maior em um vaso ainda maior que o atual. Isso propiciará um bem estar para planta evitando estresse e riscos de perdas.

Plantas de interiores

“Plantas de interiores também são muito boas para harmonização e composição do ambiente da casa, também proporcionam bem estar, filtram e purificam o ar. Mas para que elas tenham saúde, é necessário um cuidado especial, uma vez que planta é um ser vivo e não um bibelô a ser esquecido em um canto.  Mesmo as plantas de sombra gostam de luz solar difusa, luminosidade branda para que seu desenvolvimento seja perfeito.  O bloqueio total de luz faz com que as plantas não desenvolvam e fiquem estagnadas. É claro que existem plantas que não suportam nenhuma radiação solar, por isso para cada canto, uma “flor” diferente”, explicou.

“Alguns exemplos de plantas que purificam o ar são: antúrios, lírio da paz, espada de são Jorge, samambaias, hera inglesa, entre outras. Para aqueles que possuem crianças pequenas, devem tomar cuidado com a Espada de São Jorge, pois é uma planta altamente tóxica ao ser ingerida”, encerrou. 

Confira também

Suicídio é segunda maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos

Psiquiatra fala sobre transtornos mentais, bullying e tratamento para depressão Desde o ano de 2014, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *