terça-feira , 19 novembro 2019
Início / Cidade / Caminhões quebram e a coleta de lixo sofre atraso

Caminhões quebram e a coleta de lixo sofre atraso

Veículos estão sendo consertados e, enquanto isso, a Transer faz o recolhimento do lixo doméstico

Os dois caminhões da Prefeitura que realizam o trabalho diário e incessante de coleta de lixo em São José do Rio Pardo quebraram. Com isso, houve regiões da cidade que ficaram alguns dias sem o serviço, o que gerou reclamações dos munícipes, que desconheciam o que havia ocorrido. A empresa Transer, de Tapiratiba, que já recebe o lixo doméstico de São José, vem cooperando com a Prefeitura enquanto os caminhões municipais estão sendo consertados.

Gazeta procurou esta semana, através do repórter Luis Fernando Benedito, o secretário municipal de Obras e Serviços, engenheiro Fernando Passos, para esclarecer o assunto. Ele lembrou, inicialmente, a forma intensa com que os caminhões são usados na cidade, sem tempo para uma manutenção mecânica e preventiva.


“Deslocamento desses veículos é feito em marcha reduzida, pela cidade inteira”

 “A explicação para a falta de coleta em determinados dias é muito simples. Hoje nós dispomos de dois caminhões coletores da Prefeitura e o serviço é realizado praticamente 24 horas por dia a semana inteira, de domingo a domingo. Ou seja, a coleta de lixo não para”.

“Temos equipe de coletores para todos os turnos de trabalho. O problema é que, independente de ter todas as equipes de trabalho, os veículos são sempre os mesmos. O deslocamento desses veículos é feito em marcha reduzida, circula pela cidade inteira”.

“Sabemos que a cidade tem muitos buracos, pavimento mal cuidado, que estamos tentando recuperar. Mas isso leva a um desgaste muito grande dos caminhões. Coincidentemente tivemos dois caminhões danificados”, confirmou o secretário, que continuou dando mais detalhes.

“Contamos com a parceria e colaboração do pessoal da Transer, que foi vital para que o serviço não fosse totalmente paralisado, e nós conseguimos, apesar de poucos dias de problemas, fazer a coleta. Ficou um dia ou dois, no máximo, com atraso de coleta. Mas o lixo foi coletado em todos os bairros da cidade”.

“Temos que contar sempre com a paciência do contribuinte, porque algumas vezes não conseguimos realizar um serviço perfeito o tempo todo. Dessa vez, foi realmente uma coincidência de problemas mecânicos nos dois veículos”.  

“Agora estamos normalizando o serviço. O problema aconteceu de fato, mas graças a Deus foram poucos dias. Foi uma ocorrência totalmente imprevisível”, relata.

Fernando Passos diz ainda que a administração municipal está trabalhando para que esse problema não volte mais a acontecer, ciente de que isso gera transtornos para a população e acúmulo de lixo em toda a cidade.

“Pedimos desculpa à população, que ficou chateada com esses dias de falta de coleta. Os caminhões já estão em manutenção para prosseguirem com a coleta normalmente”, garantiu.

Separação

“A coleta de lixo atualmente, para agilizar, é feita da seguinte maneira: um coletor vai na frente para separar o lixo nas esquinas, e o caminhão passa para recolher. Algumas pessoas já perceberam isso, e colocam o lixo por conta própria na esquina”.

“Peço que nesse período que estamos voltando a normalizar a coleta, que o cidadão não coloque o lixo na esquina, que ele deixe na sua lixeira. O próprios coletores farão a remoção”, pediu Fernando.

Coleta de sucata

“Um dos motivos para deixar o lixo dentro da lixeira, é para que quando o coletor de sucata passar, ele possa fazer a busca dentro do saco de lixo, assim, não espalha sujeira na rua. O ideal é que os munícipes coloquem o material reciclável em um saco diferente para o pessoal da sucata pegar”, conclui.

Confira também

Chuvas acumulam 146 mm de água e afetam abastecimento

Saerp diz que houve aumento de detritos e sedimentos nas águas do rio Pardo A …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *