domingo , 7 junho 2020
Início / Cidade / Audiência debaterá se asfalta ou não o centro

Audiência debaterá se asfalta ou não o centro

Audiência debaterá se asfalta ou não o centro

Encontro ocorrerá na noite de 30 de outubro na Câmara: paralelepípedos serão debatidos

 

Uma audiência pública para avaliar a viabilidade ou não de asfaltar as ruas de paralelepípedo de São José do Rio Pardo está marcada para terça-feira, dia 30, na Câmara Municipal, às 19h30. Devem participar como expositores de questões técnicas: o engenheiro e advogado Fernando Passos, secretário de gestão e secretário interino de Obras; representantes da Associação dos Engenheiros, incluindo arquitetos, e talvez comerciantes da cidade.

Pela legislação municipal atual, 32 ruas ou vias centrais estão proibidas de receber asfalto, mas, dependendo do que for debatido e/ou decidido na audiência pública, essa lei poderá ser modificada através de algum projeto de lei.

Rubinho opina

O líder do prefeito na Câmara Municipal, vereador Rubens Lobato Pinheiro Neto, do PSL, um dos defensores da audiência pública para análise do assunto, acha a lei atual “muito ampla”.

“Não sou técnico no assunto, mas na minha opinião deveríamos manter um Centro Histórico, ou seja, algumas ruas centrais com paralelepípedo. Mas em outras, se tivermos a possibilidade de asfaltar, até por conta da dificuldade de conservação dos paralelepípedos, seria melhor”, antecipou.

Ruas centrais de paralelepípedo: audiência pública debaterá se serão ou não asfaltadas

 

Confira também

‘Dona Nenê’ completa 100 anos

A rio-pardense Margarida Carneiro de Lima Bagodi, conhecida como ‘Dona Nenê’, completou 100 anos de …

1 Comentário

  1. Comprrendo a dificuldade de se encontrar bons calceteiros nos dias de hoje, mas asfaltar as ruas de paralelepípedos, mesmo as menos centrais, tirará muito do charme da cidade, além de, se for um serviço porcamente executado, trazer ainda mais dores de cabeça, como aconteceu no asfaltamente simplesmente jogado sobre os paralelepípedos na rua Campos Salles, que se soltava em placas quando das chuvas,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *