domingo , 18 agosto 2019
Início / Cidade / Osteoporose maxilar dificulta os implantes

Osteoporose maxilar dificulta os implantes

Cerca de 200 milhões de pessoas têm osteoporose maxilar só na América Latina

A osteoporose é uma doença discreta e muito comum no Brasil, apresentando mais de 2 milhões de casos por ano dentro do país, segundo dados do Hospital Israelita Albert Einstein. Apenas no território da América Latina, ela atinge 200 milhões de pessoas. Além disso, a doença é considerada um problema mundial com taxas de mortalidade que aumentam a cada ano, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde).

A osteoporose também alcança a saúde bucal, com grandes riscos para a mandíbula e o maxilar. A dentista Gabriele Tonetti Venezian, de São José do Rio Pardo, falou à Gazeta sobre os principais pontos da doença quando atinge a saúde dos dentes.

Dra. Gabriele fala sobre a osteoporose maxilar, bastante comum em idosos

Que é osteoporose maxilar?

Gabriele: A osteoporose é uma doença ocasionada quando nosso organismo reabsorve, mais do que forma, massa óssea.  É uma patologia comum de acontecer com o passar da idade. Nas mulheres geralmente acontece na fase pós-menopausa devido à redução da produção de hormônios, como o estrógeno. Como é uma doença que atinge o corpo como um todo, os maxilares também são afetados, sofrendo diminuição da massa e densidade óssea, aumentando a porosidade e levando a algumas consequências na saúde bucal.

Quais os sintomas?

Gabriele: Os sintomas são a redução do rebordo alveolar, que é a parte óssea onde nossos dentes estão inseridos, causando também inflamação na gengiva, ocasionando mobilidade e até perda dos dentes. Diminui a espessura óssea e aumenta a porosidade, dificultando a instalação de implantes. Causa dor na articulação temporomandibular, que é a articulação presente na nossa face para abertura e fechamento da mandíbula.

Como ela é diagnosticada?

Gabriele: Para diagnosticar a doença a forma mais utilizada é o exame de densitometria óssea. No consultório odontológico uma forma de diagnóstico é a radiografia panorâmica, que fornece informações sobre a condição óssea do paciente.

Quais as formas de prevenção?

Gabriele: Como prevenção da osteoporose recomenda-se parar de fumar, diminuir o consumo de álcool e café, realizar atividade física, expor-se ao sol e ingerir alimentos ricos em cálcio e vitamina D.

Qual o tratamento?

Gabriele: Após suspeita da osteoporose pela radiografia panorâmica, o dentista encaminha o paciente ao médico para realizar o exame de densitometria óssea e, sendo comprovada a doença, o tratamento geralmente é realizado com suplementação de cálcio e vitamina D, reposição de estrógeno, e medicações que impedem a reabsorção óssea e ajudam na formação.

Por Júlia Sartori 

Confira também

Policiais visitam escola rural que ainda não tem o Proerd

Sargento Renato e cabo Marta conversaram com as crianças da fazenda Santa Amélia sobre drogas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *