quinta-feira , 26 novembro 2020
Início / Cidade / Longevidade: São José fica em 27º lugar no Brasil, entre 596 cidades com menos de 103 mil habitantes
Na região, São José do Rio Pardo perdeu apenas para São João da Boa Vista

Longevidade: São José fica em 27º lugar no Brasil, entre 596 cidades com menos de 103 mil habitantes

O IDL 2020 pesquisou as melhores cidades para quem quer viver mais e melhor

Uma nova pesquisa nacional foi realizada este ano sobre a qualidade de vida oferecida pelos municípios à população brasileira, tendo em vista sua capacidade de atender às necessidades básicas, dos adultos aos mais idosos. A pesquisa, denominada Índice de Desenvolvimento Urbano para a Longevidade (IDL) 2020, foi feita pelo Instituto de Longevidade Mongeral Aegon (RJ) O resultado foi publicado esta semana com o título: “IDL 2020: as melhores cidades para quem quer viver mais e melhor”.

Dentre 596 municípios considerados Pequenos (de 33 mil a 103 mil habitantes), São José do Rio Pardo ficou na 27ª posição, com Adamantina (SP) em 1º lugar e São João da Boa Vista em 4º. A pesquisa também levantou dados de 280 cidades consideradas Grandes e, nela, São Caetano do Sul ficou em 1º lugar. No total, foram levantadas informações dos 876 municípios mais populosos do país, correspondendo a 72% da população do país.

Utilizando os dados publicamente disponíveis de fontes oficiais, coletados em órgãos públicos como Agência Nacional de Saúde (ANS), IBGE, Ministério das Comunicações, Ministério da Saúde, Ministério da Educação, Ministério da Fazenda, Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), Tesouro Nacional, além de instituições creditadas como Fundação Getúlio Vargas, Serviço Nacional do Comércio e FIPE, o Instituto de Longevidade planejava pesquisar os 1000 maiores municípios do país para se viver; 124 deles, porém, não tinham informações atualizadas.


Aspectos relacionados ao trânsito, ao trabalho e às finanças também foram levados em conta

Aqui na região, além de São João em 4º e São José em 27º, Mococa também foi avaliada e ficou em 48º, com Vargem Grande do Sul em 123º. Os demais municípios da região não foram avaliados. Neste mesmo ranking de cidades com menos de 103 mil habitantes, Capão da Canoa (RS) ficou em 26º lugar e Peruíbe (SP) em 28º – dentre os que aparecem, no resultado final da pesquisa, encostados em São José do Rio Pardo.

As 24 melhores

Dentre as cidades maiores, além de São Caetano do Sul em 1º lugar, o IDL Geral de todo o Brasil apresentou o seguinte ranking: Santos (SP) em 2º lugar, Porto Alegre (RS) em 3º, São Paulo (SP) em 4º, Florianópolis (SC) em 5º, Niterói (RJ) em 6º, Rio de Janeiro (RJ) em 7º, Atibaia (SP) em 8º, Catanduva (SP) em 9º, Americana (SP) em 10º, Campinas (SP) em 11º e Curitiba (PR) em 12º. Essas são as 12 melhores classificadas, dentre as mais populosas, do país.

Já entre as cidades brasileiras menores, as 12 mais bem ranqueadas no IDL Geral em todo o país foram, pela ordem: Adamantina (SP) em 1º, Vinhedo (SP) em 2º, Lins (SP) em 3º, São João da Boa Vista (SP) em 4º, Itapira (SP) em 5º, Tupã (SP) em 6º, Fernandópolis (SP) em 7º, Votuporanga (SP) em 8º, Dracena (SP) em 9º, Esteio (RS) em 10º, Assis (SP) em 11º e Ijuí (RS) em 12º.

Sete variáveis

“A composição geral dos rankings do IDL é baseada em sete variáveis: Indicadores Gerais, Cuidados de Saúde, Bem-estar, Finanças, Habitação, Educação e Trabalho e Cultura e Engajamento. Em cada variável, múltiplos indicadores são analisados. Para obter todas as sete variáveis, nós partimos da estrutura da primeira edição do IDL, que continha 65 indicadores. Tendo em vista a indisponibilidade de oito desses indicadores, coletamos dados para 57 indicadores, para finalmente obter-se um modelo parcimonioso composto por 50 indicadores em 2020”, explicam os responsáveis pela pesquisa.

Na variável Finanças, segundo eles, estão incluídos fatores como o número de agências bancárias existentes nos municípios pesquisados. A avaliação obtida por São José neste quesito levou em conta que ela tem representatividade dos principais bancos no município.

“Os brasileiros de todas as idades estão interessados em cidades de melhor distribuição de renda, com menores índices de violência, em um trânsito menos violento, com menor desemprego e com melhor expectativa de vida. A variável Indicadores Gerais reflete a capacidade das cidades de atender essas demandas”, prosseguem os responsáveis, que apontam para a seguinte conclusão, ao término da pesquisa: “As cidades brasileiras ainda não estão preparadas para a longevidade da população”.

Grandes e Pequenas

Na apresentação final dos resultados da pesquisa, o Instituto de Longevidade começa lembrando que em 2018 o IBGE informava que o Brasil estava organizado em 5.570 municípios, com população média ao redor de 37.423 habitantes, sendo que 90% da população concentra-se em pouco mais de 2.400 municípios. O menor município do Brasil, Serra da Saudade (MG), possuía 786 habitantes, e o maior, São Paulo, ao redor de 12.100.000 habitantes.

“Com base nesse perfil optamos por considerar as 1.000 cidades brasileiras mais populosas, organizadas em dois grupos: as Grandes, representadas pelas 300 cidades de maior população, desde São Paulo/SP até Ituitaba/MG (104.067 habitantes), e as Pequenas, representadas pelas demais 700 cidades entre as 1.000 com maior número de habitantes, incluindo desde Japeri/RJ (com 103.960 habitantes). Esse conjunto de 1.000 cidades está distribuído por todas as cinco regiões do território brasileiro. Do total de 1.000 cidades, 876 (280 grandes e 596 pequenas) foram efetivamente avaliadas no IDL 2020. A diferença entre as 1.000 originais e as 876 finais é justificada pela indisponibilidade de dados sobre 124 cidades restantes”, explica o Instituto de Longevidade.

Confira as avaliações finais do IDL sobre São José do Rio Pardo

O resultado final da pesquisa de 2020 feita pelo Instituto de Longevidade apontou as seguintes avaliações ou conceitos sobre São José do Rio Pardo, conforme as sete variáveis mencionadas no texto acima.

Habitação: 24,6 (197º no país)

Saúde: 34,0 (147º no país)

Bem Estar: 50,7 (18º no país)

Cultura e Engajamento: 42,3 (71º no país)

Educação e Trabalho: 87,7 (48º no país)

Finanças: 79,3 (38º no país)

Indicadores Gerais: 89,0 (97º no país).

Os primeiros números desse resultado referem-se à avaliação/conceito obtida entre as cidades menores de 103 mil habitantes, enquanto o segundo, à colocação entre o total geral no país.

Confira também

Rodrigo Ribeiro, o “Buiu”, fala sobre referência negra, racismo, e projeto pessoal

Para ele, lei deveria ser mais severa com relação ao racismo No dia 9 de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *