sábado , 16 outubro 2021
Início / Cidade / Guarda Civil é acusado de assédio

Guarda Civil é acusado de assédio

ATUALIZADA: Secretaria de Segurança investiga o caso

Vítima fotografou a equipe que fazia ronda no centro e protocolou denúncia na Corregedoria da Prefeitura

Uma nutricionista publicou nesta quarta-feira, 29, em suas redes sociais, que foi assediada por um agente da Guarda Civil Municipal, quando estava no centro da cidade. O fato ocorreu por volta das 13 horas, e a profissional fotografou a equipe da GCM que fazia patrulhamento pelo centro.

Em vídeo que publicou nos stories do Instagram, ela lamentou o ocorrido. “Isso não é normal vindo de um guarda municipal que está ali para zelar pela segurança da cidade, dos cidadãos. Denunciei e espero que isso não ocorra com ninguém”, prosseguiu, informando que protocolou uma denúncia na Corregedoria da Prefeitura.

“Esse é um assunto chato sim, mas eu achei muito necessário jogar aqui para vocês, para que isso não aconteça, de verdade, com a mãe, a irmã, a mulher, a namorada, a tia, a sobrinha de vocês”, alertou.

Ela questionou ainda o fato das pessoas não denunciarem os assédios, quando eles acontecem. “Quando a gente levanta essa questão do respeito, quando a gente resolve denunciar, infelizmente escuta conversinhas do tipo: você está sendo polêmica e eu já escutei isso. Por isso é que muita gente não denuncia. Existe uma hipocrisia. Acho que a gente tem que expor sim”, completou, agradecendo o apoio dos amigos que se solidarizaram diante do ocorrido.

DERAM A VOLTA

Em conversa com Gazeta do Rio Pardo, a nutricionista disse que o caso ocorreu quando ela estava na rua Coronel Marçal, defronte à loja da Claro.

“Eles subiram a rua do Correio (Francisquinho Dias), me avistaram, deram a volta e mexeram. Aí eu xinguei, óbvio. Eu estava no celular, falando com uma paciente. Só consegui a foto porque o sinal fechou”, contou.

“Nisso, o rapaz de cá ajeitou o retrovisor e eu mandei um dedo do meio pra ele. Você acha que pararam? Não, né! Devem fazer isso com mais gente”, disse.

“Eu pago imposto para um *** mexer comigo na rua? Fardado. Gastando gasolina para me desrespeitar na rua! Eu xinguei”, continuou sua indignação.

SECRETARIA APURA O CASO

Agora pela manhã, o Secretário de Segurança, Eric Portella, disse ter tomado ciência da reclamação e informou que já adotou as providências no sentido de esclarecer o ocorrido. Ele afirma que ouvirá as equipes que estavam a serviço ontem, para identificar possíveis envolvidos no caso.

O secretário disse ainda que após isso, serão adotados os procedimentos legais referentes à reclamação.

O secretário comentou que a GCM é uma corporação de longos serviços prestados à comunidade, que a conduta, orientação e o dever é e sempre foi de servir, e disse que ações individuais que afetem a história da GCM devem ser exemplarmente apuradas e punidas.

Confira também

Unir vacinou 70 animais contra a cinomose

Segundo Alessandra Freire Paolielo, da Ong Unir, a entidade promove campanhas para vacinar animais de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *