terça-feira , 20 agosto 2019
Início / Cidade / Faltou planejamento, diz Fernando sobre a Estação de Esgoto
Fernando Passos voltou à Câmara e foi questionado sobre o projeto global do esgoto e ETE São José

Faltou planejamento, diz Fernando sobre a Estação de Esgoto

Secretário de Obras diz que ela não teve melhoria alguma ao longo dos anos

 O secretário municipal de Obras, engenheiro Fernando Passos, também presente na Tribuna Livre da última terça-feira, lembrou que a Estação São José (este é o nome da ETE do bairro Buenos Aires) foi construída na década de 1990. De lá para cá, mesmo com o crescimento populacional daquela região, incluindo os bairros Cassucci, Redher e as empresas no Distrito, a ETE não recebeu qualquer melhoria ou ampliação em seus serviços ao longo das administrações que se sucederam.

“Isso mostra uma falta de planejamento no crescimento da cidade e falta de capacidade de investimento. Que acontecerá no futuro? Como o Marcelo Primini mencionou, ela será desativada ou adaptada para outro tipo de sistema. Os loteamentos que têm naquela área têm como diretriz a ampliação ou melhoria daquele sistema, ou a conversão daquela estação de tratamento em uma elevatória que irá bombear o esgoto de toda aquela região para o sistema central”, afirmou.

Depende de verba

Tanto a ampliação quanto a transformação em elevatória dependem de uma verba do governo que a Prefeitura aguarda chegar, verba esta destinada à conclusão do tratamento global do esgoto no município. “Se vier o dinheiro, em 9 meses a gente conclui o tratamento global e aquela estação vira uma elevatória. Caso o dinheiro não venha, por conta de todo o contingenciamento que o governo federal tem feito em todas as áreas, os loteadores vão melhorar e ampliar aquele sistema de tratamento”, assegurou.

Questionado pelo vereador Kocian sobre o projeto anunciado pela administração dois anos atrás, de desativar a ETE atual e uma nova ETE ser feita por uma empresa loteadora, Fernando disse que há um loteamento em fase de aprovação na Prefeitura com previsão para 800 lotes. E essa empresa deverá construir uma ETE nova, mas que não receberá os esgotos que hoje são despejados na ETE São José e sim os que vierem dos 800 lotes e de projetos futuros. “A ETE atual será ampliada ou transformada em elevatória”, confirmou.

Confira também

Na Câmara, presidente da Comderp diz que a dívida é de R$ 2 milhões

Eduardo Malveiro Pereira Leite, diretor presidente, acredita que ainda há caminhos de recuperação A Comderp …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *