terça-feira , 22 outubro 2019
Início / Cidade / Ernani volta a pedir verba para o esgoto
Com Hélio Escudero e Reinaldo Milan, Ernani conversou com Gilson Pires (Secretaria Nacional de Saneamento)

Ernani volta a pedir verba para o esgoto

O prefeito Ernani Vasconcellos esteve em Brasília nesta quarta-feira e quinta-feira (25 e 26) para audiências em Ministérios e Secretarias. Acompanhado pelo secretário de Gestão Hélio Escudero e pelo vice Reinaldo Milan, eles participaram também de reuniões com deputados e senadores, visando soluções para demandas do município.

Na quarta-feira foram ao Ministério do Desenvolvimento Regional, em audiência com Gilson Pires, coordenador geral de Projetos de Água e Esgoto do Departamento de Repasses a Projetos da Secretaria Nacional de Saneamento. Na pauta a liberação dos recursos para a conclusão das obras do tratamento de esgoto, cujo pedido e documentos estão desde o ano passado esperando despachos.

Em outra audiência, Ernani, Hélio e Reinaldo se reuniram com Celso Matsuda, secretário nacional de Habilitação.Desde janeiro o prefeito tenta viabilizar para o município um programa de moradias que beneficie famílias com renda de 1,5 a 2 salários mínimos. Ernani explicou na ocasião que pretende estabelecer neste programa uma cota de moradias para funcionários públicos. Na audiência também foram discutidos assuntos relacionados à melhoria na infraestrutura de algumas regiões da cidade.O secretário orientou o município a buscar parcerias para viabilizar os projetos ainda este ano.

No final daquele dia a reunião foi no gabinete do Ministério da Agricultura, com a assessora técnica do órgão, Adriely Luciana Leal Fernandes. Na oportunidade trataram da inclusão do município em projeto para recebimento de recursos visando aquisição de caminhões para o trabalho nas estradas rurais.

Alternativas

Sobre a questão do projeto do esgoto, Ernani já havia afirmado que há alternativas em estudo caso o governo federal não libere os recursos já aprovados pela Caixa Econômica Federal (R$ 5 milhões).

 “Se não conseguirmos isto, teremos que partir para um empréstimo de R$ 5 milhões ou para uma parceria com a Sabesp, por exemplo, para terminar o projeto. Se não terminarmos, ficará mais difícil trazer indústrias para São José, embora o fato de já estarmos com 90% pronto já seja algo visto com bons olhos pelas empresas”, comentou o prefeito.

Confira também

Escolas municipais recebem orientação de higiene bucal

Alunos receberão kit básico de escovação e palestras nas escolas de São José do Rio …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *