sexta-feira , 18 outubro 2019
Início / Cidade / Conservatório de Tatuí aguarda decreto para evitar cortes

Conservatório de Tatuí aguarda decreto para evitar cortes

“Se isso acontecer, e vamos torcer para que aconteça, é motivo de bastante alívio e alegria”, diz Juliano

O governo do Estado de São Paulo anunciou possíveis cortes nas verbas destinadas à Cultura, envolvendo também o Conservatório de Tatuí e, consequentemente, o Polo Musical de Rio Pardo, que está instaurado na cidade desde 2006 e atende cerca de 200 alunos de vários municípios da região. Gazeta procurou o coordenador do polo, Juliano Marques Barreto, para falar sobre a atual situação do Conservatório.

“No início do ano de 2019, fomos chamados a Tatuí, onde nossa assessoria pedagógica e direção executiva, nos informou sobre um suposto corte que o governador do estado de São Paulo estava querendo fazer para as diversas pastas e secretarias. E que para a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, esse corte geraria em torno dos 23%. Isso foi um motivo de bastante apreensão para nós, porque esse corte poderia limitar e até encerrar algumas atividades do Conservatório. Vale ressaltar que aqui em São José do Rio Pardo é a única extensão que segue as mesmas diretrizes, tanto pedagógicas quanto administrativas da nossa sede, que é o de Tatuí”, relata Juliano.

Segundo ele, a diretoria executiva participou de diversas reuniões, indo até São Paulo, para tentar reverter, evitar ou até amenizar o corte, se possível. “Todas as outras notícias sobre isso, fomos nos atualizando através das mídias sociais. Facebook, o próprio site do Governo do Estado e do Conservatório. Até teve um pronunciamento do Secretário do Estado de Cultura, sobre não ter mais esse corte.  Se isso realmente acontecer, e nós vamos torcer para que aconteça, é motivo de bastante alívio e alegria, uma vez que o polo de Rio Pardo atende mais de 25 cidades, temos vários grupos artísticos e pedagógicos que tocam aqui e em toda região. Os nossos alunos saem daqui para as melhores universidades, para os melhores grupos e temos alunos até no exterior”, comenta o coordenador.

“Não tivemos uma posição oficial ainda, nem da nossa diretoria executiva. E eu creio que esse decreto evitando o corte saia em breve pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa. Não têm um prazo para isso, mas espero que saia o quanto antes”, revela.

Juliano destaca as comoções que estão sendo feitas por todo o estado de São Paulo para evitar o corte. “Estamos vendo diversas manifestações. Não só o conservatório seria atingido, mas a EMESP, Museus, Pinacotecas, grupos de dança, entre outros. Muita coisa seria prejudicada. Deveríamos partir da premissa que cultura é educação. Cultura não é gasto, é investimento. Nós tiramos jovens das ruas, damos uma atividade para eles, um direcionamento. Temos pessoas que até vivem de música, se tornam professores. Enfim, a cultura é extremamente importante para todos, em todas as fases da vida. Então eu acho que se houver essa sensibilização dos nossos administradores, creio que vão evitar o corte”, completa.

Por enquanto as aulas do Conservatório permanecem sem alterações. “Estamos a todo vapor, as aulas continuam, temos diversos convites para concertos em Rio Pardo e fora da cidade. Continuamos normalmente até as próximas orientações”, finaliza.

Juliano Marques Barreto, coordenador do polo de Rio Pardo

 

Por Júlia Sartori

Confira também

Campanha Ecolacre entrega mais 20 cadeiras de rodas

Mais 20 cadeiras de rodas foram destinadas pela Renovias para entidades de diversas cidades da …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *