sexta-feira , 19 julho 2019
Início / Cidade / Beterraba sobe de preço, mas rentabilidade cai
Beterraba vai entrar lentamente no mercado, o que pode segurar o preço (Foto: Reprodução da Internet)

Beterraba sobe de preço, mas rentabilidade cai

“Além da renda baixa, houve o problema da baixa qualidade no campo”, diz zootecnista

O preço da beterraba tem subido nesses últimos meses. Uma caixa de 25 kg está sendo vendida por R$ 50,00 na roça. Para explicar a situação, e mencionar as circunstâncias que levaram a esse aumento de preço, Gazeta entrevistou o zootecnista da CATI, Rodrigo Vieira de Moraes.

“Conversando com o pessoal que trabalha com vendas de semente de beterraba, que acompanha as lavouras e colheitas, cheguei à conclusão de que a condição é bem complexa. A avaliação do que está acontecendo hoje faz parte de uma história que vem desde 2016. No fim do verão de 2015, foi relatado que em São José do Rio Pardo e região, após o período de colheita da beterraba, as câmaras frias tinham um estoque de três milhões de sacas. A produção conta com uma lavoura simples de ser manejada, o período é curto, a colheita é relativamente barata, e tem um custo em relação às lavouras mais barato que a cebola. Além disso, a beterraba consegue ser armazenada em câmara fria. Na região, temos muitas câmaras que compram as beterrabas por meio de contrato. Então, o produtor já planta com o contrato fixado para vender para os donos dessas câmaras frias.  O estoque de três milhões de saca, passou a ser jogado no comércio. Isso causou uma quebra nas lavouras da região. Segurou o preço da beterraba lá embaixo, e não ficou mais atrativo plantar em São José e região. A partir daí começaram os problemas”, relata.

Os produtores que plantaram em fevereiro, tiveram perda de 60% das áreas plantadas na roça. Os outros 40% ficaram com renda baixa, que significa a quantidade de caixa por hectare. “Então na produção normal em que colheria 1.200 caixas por hectare, estavam colhendo 800 caixas”, explica Rodrigo.

Temperatura alta

“Apesar da beterraba ser fácil de manejar, a lavoura não suporta temperaturas elevadas e com muita chuva. Então no período de verão, que vai de novembro a fevereiro, praticamente não existe colheita de beterraba. As beterrabas acumuladas em junho, que foram plantadas em fevereiro, tiveram o preço elevado, já que o estoque estava baixo por conta das perdas”, prossegue.

Greve

De acordo com Rodrigo, por conta da greve dos caminhoneiros, o produtor saiu prejudicado novamente. “Depois da greve o preço da beterraba caiu, o excesso de oferta diminuiu, não conseguiram dar vazão. Com isso, os donos de câmara fria fizeram um armazenamento mínimo, e jogaram a beterraba no mercado. O preço continuou em níveis baixos”, completa.

Doença

“Ocorreram doenças nas lavouras no período de calor elevado e chuvas, como a nematoides(*). Conversando com os técnicos, nós fizemos algumas contas e percebemos que tirando todo o custo habitacional da propriedade da lavoura, a renda estava gerando uma sobra de R$6.400, por hectare. Além da renda estar baixa, tivemos o problema da baixa qualidade da beterraba no campo. Estão chegando beterrabas do nordeste e do sul do país, que também não estão com a qualidade boa e estão acabando”, destaca o zootecnista.

Preço alto

Segundo Rodrigo, apesar do preço estar interessante no campo, o produtor rural está fazendo um plantio mais escalonado por conta dos prejuízos anteriores. “A beterraba que será colhida daqui a 90 dias, vai entrar lentamente no mercado, o que pode segurar o preço para o produtor. Com base nisso, os donos de câmara fria estão correndo atrás dos contratos, o que é bom para o produtor que vai plantar com a certeza da venda. Com o estoque das câmaras frias no fim, o preço começou a subir. Apesar disso, o produtor rural não está tendo um bom retorno, porque a rentabilidade por hectares está muito baixa”, encerra.

(*) nematoides-  vermes microscópios e geralmente abundantes no solo, água doce e salgada e muitas vezes são parasitas de animais, insetos e também de plantas. Plantas do gênero Capsicum podem ter sua safra prejudicada por fitopatógenos, inclusive os fitonematoides.

Confira também

Site recebe a partir desta terça cadastro para lista de ‘não perturbe’ do telemarketing

Segundo informações publicadas no site do G1, os consumidores que não desejam receber ligações de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *