Início / Cidade / 5º Ilumina Festival será dia 9 de janeiro, às 19:30 horas, no Centro Cultural Ítalo-Brasileiro

5º Ilumina Festival será dia 9 de janeiro, às 19:30 horas, no Centro Cultural Ítalo-Brasileiro

5º Ilumina Festival será dia 9 de janeiro, às 19:30 horas, no Centro Cultural Ítalo-Brasileiro

 

O Grupo Amigos do Rio Pardo anuncia a apresentação única de  um concerto especial e inédito com 10 dos melhores músicos do mundo, com entrada franca. O  5º Ilumina Festival, que não é música clássica, é uma revolução Musical!, acontecerá dia 9 de janeiro,  às 19h30 no Centro Cultural Ítalo-Brasileiro na Rua 13 de Maio, 195 no centro de São José do Rio Pardo.

O 5º Ilumina Festival de Música Clássica é uma realização da Associação Musical Ilumina, do Ministério da Cultura do Governo Federal do Brasil, por meio da Lei de Incentivo à Cultura Rouanet, em parceria com o Instituto Italiano de Cultura de São Paulo, o Danish Arts Foundation e a SatGuru Travels.

 

 

SOBRE O ILUMINA FESTIVAL DE MÚSICA CLÁSSICA

Partindo da ideia de que a música é uma atividade social, que deve encantar, desafiar e iluminar, a violista norte-americana Jennifer Stumm criou, em 2015, o Ilumina Festival, com o intuito de criar performances inovadoras e gerar oportunidades para uma geração de jovens talentos vindos, muitas vezes, de uma realidade socioeconômica menos favorecida.

O Ilumina pretende garantir que a totalidade de seus jovens artistas possa estudar nos melhores conservatórios de música do mundo: em apenas quatro anos de realização, 47 músicos (mais de 50% do total de bolsistas participantes) já estão estudando no exterior, em renomadas instituições.

 

Leia a programação completa Ilumina Festival.

 

“Rebelde” é o tema da programação de concertos da quinta edição do Ilumina Festival.

Explorar as muitas possibilidades da música de câmara, unindo jovens talentos da música de concerto à prestigiados solistas vindos de diferentes partes do mundo é a proposta do Ilumina Festival de Música Clásssica, que chega à sua quinta edição em 2019, tendo como objetivo preparar os músicos para ingressarem nas melhores escolas de música internacionais.

Com o diferencial de promover a convivência mais intimista entre os artistas, o Ilumina proporciona aos participantes trocar experiências artísticas e pessoais ao longo de todo o período de realização do Festival, em que estes ficam alojados em uma fazenda de café em Mococa, interior de São Paulo, interagindo nos ensaios, masterclasses, oficinas e estudos coletivos, além de compartilharem momentos, seja fazendo as refeições em conjunto, ou usufruindo da natureza do local.

Parte essencial da formação artística é a programação de concertos gratuitos, nos quais alunos e professores se apresentam lado a lado, em diversas formações, tanto nos palcos do interior do estado, como na capital paulista.

O tema dessa edição é REBELDE, que, segundo a violista norte-americana Jennifer Stumm, idealizadora e diretora artística do Ilumina, propõe um sentido próprio de rebeldia, apresentando composições capazes de provocar uma revolução, tanto na experiência musical dos artistas, como na do público ouvinte: “Acredito que boa música tem o poder de nos fazer relembrar de nossa humanidade. Não como um estereótipo: suave, agradável, fácil, elegante, elitizada. Mas provocando em nós uma mudança – elevando nosso espírito, fazendo-nos viver”, afirma Jennifer.

O mote da rebeldia inspira a escolha do repertório de cada programa, que mistura desde autores canônicos da música clássica, como Beethoven, Brahms, Schubert e Felix Mendelssohn; passando pelos do século XX, como Igor Stravinsky, Béla Bartók, Olivier Messiaen e György Ligeti; até os contemporâneos, como George Crumb, Anna Thorvaldsdottir, Osvaldo Golijov e Sofia Gubaidulina (alguns destes com sua produção artística em andamento).

Entre os destaques da programação está o concerto O Fim do Tempo, de atmosfera apocalíptica, em que os movimentos de Black Angels para quarteto de cordas elétrico, de George Crumb, e do Quarteto para o Fim do

Tempo, de Olivier Messiaen, são desmembrados e intercalados a excertos de composições de Brahms, Shostakovich e Schubert (12/jan, 20h, Auditório do MASP).

E já que a alegria pode ser considerada como o melhor modo de rebeldia, o programa Rebelião de Alegria, que encerra o Festival, reúne desde um inusitado arranjo para quarteto de cordas do rock Purple Haze, de Jimi Hendrix, à Große Fuge de Beethoven; excertos de peças para instrumentos solo, como os Ciclos Brasileiros para piano, do brasileiro Heitor Villa-Lobos, aos Preludios para Contrabaixo Solo, da russa Sofia Gubaidulina; até a Sonata para Violoncelo Solo, de György Ligeti, ao Divertimento para cordas, de Béla Bartók (13/jan, 16h, Sala São Paulo).

PROGRAMAÇÃO DE CONCERTOS

INTERIOR DE SÃO PAULO

Domingo | 06 Jan | 20h30 | Caconde

Igreja Matriz

Praça Ranieri Mazilli s/n, Centro

programa a ser anunciado

Quarta | 09 Jan | 19h30 | São José do Rio Pardo

Centro Cultural Ítalo-Brasileiro

Rua 13 de maio, 195, Centro

programa a ser anunciado

Quinta | 10 Jan | 19h30 | Mococa

Teatro Municipal de Mococa

Rua Coronel Diogo, 82, Centro

programa a ser anunciado

SÃO PAULO, CAPITAL

Sexta | 11 Jan | 20h

Auditório MASP

Av. Paulista, 1578, Bela Vista

Programa:

Felix Mendelssohn

Octeto de cordas, opus 20

– Yura Lee, Gustavo Lennertz, Gabriel Mira, Gideoni Loamir (violinos)

– Asbjørn Norgaard, Daniel Espinoza (violas)

– Jakob Koranyi, Orlando Puertas López (violoncelos)

Igor Stravinsky

L’Histoire du Soldat (A história do Soldado)

– Tai Murray (violino)

– Gabriele Mirabassi (clarinete)

– Cristian Budu (piano)

Georges Enescu

Octeto em Dó Maior, opus 7

– Alexi Kenney, Tai Murray, Felipe Bueno, Nathan Amaral (violinos)

– Jennifer Stumm, Daluz Sepúlveda (violas)

– Giovanni Gnocchi, Guilherme Moraes (violoncelos)

Sábado | 12 Jan | 14h

Teatro Eva Herz – Livraria Cultura Conjunto Nacional

Av. Paulista, 2073, Bela Vista

Programa: FUTURE REBEL I

Henry Purcell

Fantasias para 3, 4, 5 e 6 vozes

Anna Thorvaldsdottir

Illumine para octeto de cordas

– Tai Murray, Gabriel Mira e Marina Caputo (violinos)

– Guilherme Caldas e Guilherme Santana (violas)

– Guilherme Moraes e Jakob Koranyi (violoncelos)

– Pedro Gadelha (contrabaixo)

Felix Mendelssohn

Quarteto de cordas em lá menor opus 13

– Nathan Amaral e Lucio Luis (violinos)

– Jennifer Stumm (viola)

– Orlando López Puertas (violoncelo)

Sábado | 12 Jan | 20h

Auditório MASP

Av. Paulista, 1578, Bela Vista

Programa: O FIM DO TEMPO

Johannes Brahms

Trio em la menor, opus 114: Allegro

– Victor Hugo Rego (clarinete)

– Jakob Koranyi (violoncelo)

– Cristian Budu (piano)

George Crumb

Black Angels para quarteto de cordas elétrico: Sarabanda de la Muerta Oscura; Sinos perdidos – Eco

– Alexi Kenney e Yura Lee (violinos)

– Asbjørn Norgaard (viola)

– Guilherme Moraes e Jakob Koranyi (violoncelos)

Olivier Messiaen

Quarteto para o Fim do Tempo: Vocalise, para o Anjo anunciando o fim do tempo

– Tai Murray (violino)

– Giovanni Gnocchi (violoncelo)

– Gabriele Mirabassi (clarinete)

– Cristian Budu (piano)

George Crumb

Black Angels para quarteto de cordas elétrico: Vozes antigas; Vozes antigas – Eco; Deus – Música

Dmitri Shostakovich

Sonata para viola e piano, opus 147: Adagio

– Jennifer Stumm (viola)

– Cristian Budu (piano)

Franz Schubert

Impromptu No. 3 em sol bemol maior, D 899

– Cristian Budu (piano)

Olivier Messiaen

Quarteto para o Fim do Tempo: Dança da fúria, pelas sete trombetas

George Crumb

Black Angels para quarteto de cordas elétrico: Dança Macabra; Pavana Lachrymae – A Morte e a Donzela

Franz Schubert

Quarteto de Cordas em ré menor D 810 – A Morte e a Donzela: Andante con moto

– Músicos do Festival

Olivier Messiaen

Quarteto para o Fim do Tempo: Louange à l’immortalité de Jésus

– Tai Murray (violino)

– Cristian Budu (piano)

Domingo | 13 Jan | 11h30

Teatro Eva Herz – Livraria Cultura Conjunto Nacional

Av. Paulista, 2073, Bela Vista

Programa: FUTURE REBEL II

Ludwig van Beethoven

Quarteto de cordas em dó maior opus 18 n.1

– Felipe Bueno e Nathalia Oliveira (violinos)

– Asbjørn Norgaard (viola)

– Guilherme Moraes (violoncelo)

Osvaldo Golijov

Os Sonhos e Orações de Isaac o cego: Kvakarat para quinteto com Clarinete

Caroline Shaw

Valencia para quarteto de cordas

– Gideoni Loamir e Gustavo Lennertz (violinos)

– Daniel Espinoza (viola)

– Giovanni Gnocchi (violoncelo)

– Victor Hugo Rego (clarinete)

Richard Strauss

Metamorphosen

– Músicos do Festival

Domingo | 13 Jan | 16h

Sala São Paulo

Praça Júlio Prestes, 16, Campos Elíseos

Programa: REBELIÃO DE ALEGRIA

ATO I – Rockstars

Jimi Hendrix

Purple Haze

– Tai Murray e Gideoni Loamir (violinos)

– Jennifer Stumm (viola)

– Jakob Koranyi (violoncelo)

Ludwig van Beethoven

Große Fuge para quarteto de cordas em si bemol, opus 133

– Yura Lee e Alexi Kenney (violinos)

– Asbjørn Norgaard (viola)

– Giovanni Gnocchi (violoncelo)

ATO II – Os Artistas dominam o palco

Heitor Villa Lobos

Ciclos Brasileiros: Impressões Seresteiras; Festa No Sertão

– Cristian Budu (piano)

Sofia Gubaidulina

Preludios para Contrabaixo Solo: Senza Arco

– Pedro Gadelha (contrabaixo)

Carte Blanche

– Gabriele Mirabassi (clarinete) e Músicos do Festival

ATO III – Eu sou. Nós somos. Você também!

György Ligeti

Sonata para Violoncelo Solo

I- Dialogo

II- Capriccio – Jakob Koranyi (violoncelo)

Béla Bartók

Divertimento para cordas, BB 118

– Músicos do Festival

 

Confira também

Águas da Prata recebe mais duas fontes

Em comemoração ao Dia Internacional da Água,  festejado no próximo dia 22 de março, a ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *