segunda-feira , 25 janeiro 2021
Início / Agricultura / Senar conclui curso de tomate orgânico
Tomates produzidos durante o curso

Senar conclui curso de tomate orgânico

E, para fevereiro de 2020, a previsão é de um curso para batata orgânica

Na terça-feira, dia 19 de novembro, alguns produtores rurais concluíram o curso de Tomate Orgânico, oferecido pelo Senar, em parceria com o Sindicato Rural de São José do Rio Pardo. O curso ocorreu no Sítio Nossa Senhora Aparecida, de José Carlos Dias.

Gazeta entrevistou a instrutora Valquíria Cavino, responsável por ministrar as aulas práticas e teóricas sobre o tomate orgânico.

“O curso teve uma duração de seis meses, começou em junho, e estamos encerrando agora em novembro. Fizemos todo o preparo do solo, as mudas do tomate, e realizamos o plantio de 750 mudas.Foi tudo conduzido no sistema orgânico, sem o uso de adubo químico e defensivos agrícolas”, explica.

Objetivo

“O objetivo do curso e do Senaré a profissionalização da mão de obra na área rural. Os participantes do curso estão saindo aptos a produzir tomates no sistema orgânico”, destaca.

“Tivemos uma boa participação, os produtores vieram para o curso duvidando que seria possível fazer a colheita de tomate nesse sistema, e chegando no último dia, eles já sabem que é completamente possível. Na verdade, já fizemos três colheitas nos meses anteriores, hoje estamos realizando a última”, comenta.

Demanda

Segundo Valquíria, a demanda de produção orgânica vem crescendo anualmente, em torno de 20% a 30% ao ano. “Ainda não vamos ter 100% em uma produção com apenas tomates orgânicos, mas vem crescendo. Esse crescimento do plantio está ligado a procura pelo produto.Estamos começando pelo tomate a introduzir o orgânico em São José”, conclui.

Produtor

“Vai fazer dois anos que estamos produzindo o tomate orgânico. Como estou fazendo curso, no momento não podemos vender porque é o Senar que faz. Pegamos a produção e dividimos entre os alunos, então ainda não estamos fazendo para vender. Mas talvez o ano que vem eu comece com isso. Nós não tínhamos experiência antes com orgânicos, mas sempre sonhávamos em fazer. A partir de agora só queremos trabalhar nesse sistema. É um ótimo negócio. As pessoas têm um grande interesse em comprar produtos orgânicos, muitas vezes não perguntam nem o preço”, afirma José Carlos Dias, produtor de tomate em São José.


Plantação antes da colheita

Curso de batata orgânica em 2020 será um projeto piloto


A batata orgânica será o foco do próximo curso do Senar aos produtores de São José do Rio Pardo

A partir do mês de fevereiro, o Senar abrirá novas inscrições para um projeto piloto de batata orgânica. Se der certo, se estenderá até 2021.

“O projeto piloto, assim como o curso do tomate, vai acontecer em uma propriedade privada, e será desenvolvido em seis meses, onde também será feita toda a parte prática e teórica”, diz a instrutora Valquíria Cavino.

Leonardo Minussi, coordenador do Senar,conversou com o jornal sobre a importância desses cursos direcionados a produção de produtos orgânicos.

“Todos os cursos de orgânicos que estamos promovendo são muito importantes, porque o produtor muitas vezes não tem essa visão de plantar orgânicos hoje em dia. O uso de agrotóxicos está muito grande, e isso acaba trazendo problemas à saúde. Então temos essa preocupação em capacitar os produtores, não só em orgânicos, mas em outras linhas, como agropecuária, pró-leite, essas coisas”, explica.

“Todos os cursos são gratuitos. Às vezes temos uma dificuldade, pois o pessoal não conhece o Senar, então quem tiver interesse, procure saber sobre esses cursos. Vá até o Sindicato Rural. Estamos de portas abertas. Temos cursos de todas as linhas de agricultura”.

Batata

“O município tem um potencial muito grande de ir para a parte agropecuária. O Sindicato Rural já está fazendo um trabalho excelente, já estão promovendo diversos cursos para produção de orgânicos”, conta Rodrigo Vieira de Moraes, zootecnista. “O solo de São José é um pouquinho pesado para produção de batata. Aquela batata de alta escala, o produtor rural não gosta porque tem muita dificuldade de cultivar ela aqui. Mas temos algumas regiões onde o solo é um pouco mais leve, onde acontece plantio de batata. No caso do curso de batata orgânica, é interessante para o pequeno produtor, porque ele vai ter um produto a mais para vender na feira”, encerra.

Entrevistas: Paulo Sérgio Rodrigues

Texto: Júlia Sartori

Confira também

Vacinação dos profissionais da saúde no município começa amanhã

Cidade recebeu um lote com 880 doses da CoronaVac A Secretaria Municipal da Saúde, em …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *