Início / Cidade / ‘Nascidos para ler’ completa 3 anos na cidade

‘Nascidos para ler’ completa 3 anos na cidade

‘Nascidos para ler’ completa 3 anos na cidade

Projeto tem voluntárias em postos para contato com as mães e as crianças

 

O projeto Nascidos para Ler, trazido da Itália para o Brasil em meados de 2015 através da inciativa privada (Juliana Torres Junqueira), está completando três anos de funcionamento em São José do Rio Pardo. Trata-se, como já foi divulgado pela Gazeta na época, de um projeto pioneiro que visa incentivar as mães (e pais) a lerem algo para seus filhos a partir do primeiro ano de vida.

Estudos realizados em países onde o projeto já está em andamento há mais de 20 anos, comprovam que a leitura em voz alta para a criança, ao menos quatro vezes por semana, desencadeia transformações importantíssimas no cérebro infantil, fazendo com que ela adquira competências e habilidades necessárias para o seu pleno desenvolvimento. Esta criança irá chegar à escola já preparada para a alfabetização, com melhor autoestima e, consequentemente, terá um melhor desempenho escolar e uma vida estudantil mais longa, podendo até mesmo ter uma maior ascensão social.

Agora, em setembro de 2018, o projeto já está consolidado no município e tem vários pontos ou postos nos quais é possível encontrar pessoas voluntárias que o promovem. Essas pessoas demonstram às mães ou pais como deve ser a leitura, além de cuidar dos pequenos acervos disponibilizados em cada local no qual a iniciativa vem sendo praticada.

Voluntárias

Cristina Tinti é uma dessas voluntárias. Ela vai ao Posto São Domingos, no bairro São Domingos, às quartas-feiras, no horário em que uma pediatra atende as crianças: a partir das 12 horas. Ela orienta os pais que estão aguardando consulta sobre a importância de ler para as crianças a partir dos seis meses de idade, ressaltando que isso os aproximará ainda mais do filho(a).

“Isso desenvolverá na criança o gosto pela leitura a partir do momento em que começar a ser alfabetizada, além de ela ter mais facilidade para se desenvolver. E, quando adulta, será uma pessoa que irá gostar de ler e isso é muito bom para a cultura em geral”, comentou Cristina. “Eu distribuo folders, a gente tem uma pequena biblioteca e eu chamo as crianças que aguardam consulta e conto histórias”.

Maura Nabuco, outra voluntária, disse ao jornal que desde a primeira capacitação ocorrida em São José do Rio Pardo, ela, como mãe, avó e ex-professora, ficou mais entusiasmada com a possibilidade de divulgar este projeto. “Eu já conhecia o que uma boa leitura, uma boa interpretação, com a parte lúdica, fornece para as crianças para a vida toda. Então, com todos os dados científicos corroborando com o que eu já experimentara, iniciei meu projeto no Posto de Saúde Central”, afirmou. “Nem é preciso dizer que as crianças ficam enebriadas com alguém de boa vontade que se senta com elas, conte e interprete uma história tal como um ator”.

Segundo Maura, até mesmo com crianças muito agitadas o projeto faz diferença. “Diante de um ambiente apropriado e com uma pessoa que goste do que faz e sabe da importância, esta pessoa consegue atrai-las e fazer com que a leitura e a interpretação consigam trazer bons frutos a elas. Também ajudei muitas mães a entenderem a necessidade de conversar com os filhos, unir a família em torno de um momento de tranquilidade”.

Posto do Cassucci

O projeto Nascidos para Ler também está no ESF do Carlos Cassucci. No local há um espaço reservado na sala de vacinação para as mães e crianças que se interessem pelo material e funciona de segunda a sexta-feira, das 10 horas às 15 horas. Leoni Garcia, auxiliar de enfermagem, é voluntária do projeto ali e está sempre presente para explicar às pessoas interessadas os objetivos propostos.

Na sala da Odontologia há mais duas voluntárias: a dentista Maria Carolina Tinti Lopes Moreira e a auxiliar de consultório dentário Camila Borges. “Fazemos empréstimos de livros para as mães que solicitam e para as crianças em tratamento odontológico, que vêm em consultas semanais”, explica Carolina.  “Acreditamos que o ‘Nascidos para Ler’ esteja, sim, trazendo, aos poucos, um novo olhar para a leitura, para a cultura de ler, pois as crianças que frequentam a unidade já criaram o hábito de frequentar o ponto e, a cada dia, mais mães se interessam pelo projeto”.

O projeto também é apresentado, segundo ela, ao grupo de gestantes do bairro em reuniões que acontecem quinzenalmente, às terças-feiras, naquela unidade de saúde. Carolina diz que a intenção é criar uma “sementinha da leitura nas futuras mamães”.

Apoio rotário

A professora aposentada Rosângela Aparecida Gomes Pereira, rotariana, teve seu primeiro contato com o projeto quando fez o curso com a idealizadora, pedagoga e empresária Juliana Torres Junqueira, em 2016. Rosângela se tornou imediatamente uma voluntária no ponto de leitura instalado no Posto de Saúde Central, em algumas ocasiões.

Como rotariana, ela conduziu a inauguração do segundo ponto de leitura no dia 30 de setembro daquele ano, em um espaço dentro do Hospital São Vicente, na área da Pediatria.

“Nós, rotarianas e companheiras do clube ‘A Família’, divulgamos o projeto dentro da Pediatria uma vez por semana, às quintas-feiras, das 13h30 às 15h30”, lembrou Rosângela. “Na última quinta-feira do mês eu participo do curso de gestantes no auditório do Hospital, divulgando o projeto. O auditório está sempre lotado com as gestantes e seus acompanhantes, sendo algo muito gratificante participar desse projeto, que incentiva a leitura para crianças desde o nascimento”.

Ela frisou que as crianças tomam o gosto pela leitura, alfabetizam-se mais cedo e desenvolvem a aprendizagem cognitiva. “Várias estudos comprovam esses resultados”, assegurou. “Em março de 2017, sob a minha presidência, o Rotary Club São José do Rio Pardo fez a doação de estantes e caixas de madeira para organizar os livros do projeto na Biblioteca Municipal Monteiro Lobato. O espaço é convidativo, bem como os livros que tornam a leitura muito prazerosa e a Juliana é a doadora de todos esses livros desde 2016”.

FOTOS

Sala disponibilizada no ESF Cassucci para o projeto, com os livros para leitura

Juliana Torres Junqueira trouxe a proposta para São José do Rio Pardo

No auditório do Hospital São Vicente, pais ouvem detalhes do projeto

Confira também

Plantio de mudas neste sábado

Prefeitura Municipal São José do Rio Pardo   Plantio de mudas  neste sábado A Secretaria de ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *