quarta-feira , 18 setembro 2019
Início / Cidade / Garatea-E: Escola João Gabriel participa de projeto voltado para pesquisa aeroespacial
Equipe “Ares” da escola João Gabriel Ribeiro foi selecionada para enviar experimento à estratosfera

Garatea-E: Escola João Gabriel participa de projeto voltado para pesquisa aeroespacial

Sonda estratosférica enviará experimentos escolhidos pelos alunos para a estratosfera

A escola E.E João Gabriel Ribeiro está participando do projeto Garatea-E, desenvolvido por um grupo de extensão de alunos da USP de São Carlos, da área de engenharia aeroespacial, denominado Zenith Aerospace. A equipe da escola rio-pardense é composta por 15 alunos do 8º ano, que nomeou o grupo de “Ares”. A professora de ciências, Sofia Silva Ratz, que está organizando a equipe, falou sobre o intuito do projeto Garatea-E.

“Eles tem uma parceria com a NASA. É um projeto todo voltado a tecnologia espacial, mas tem essa parte voltada a educação, para a divulgação da ciência. O grupo da USP faz uma divulgação cientifica, em que as escolas podem fazer projetos para enviar por uma sonda estratosférica, algo que os alunos queiram mandar para a estratosfera, que é uma camada da atmosfera. Temos que inserir no projeto o que nós queremos enviar para lá e o motivo, a nossa intenção com isso. Podemos enviar objetos ou seres vivos ( fungos, plantas). Mas não animais ou líquidos inflamáveis, por exemplo. Tem as regras éticas. Nós decidimos mandar a folha de uma planta, porque queremos saber qual a influência das condições estratosféricas sobre ela”, explica Sofia.

Seleção

“Tínhamos até dia 15 de maio para enviar o projeto ao Zenith, porque eles iam fazer uma seleção. Todas as escolas do Brasil que quisessem participar, deveriam enviar até esse prazo”, conta a professora.

Entre todas as escolas participantes do Brasil, 33 foram selecionadas. No entanto, algumas com ressalvas. A equipe “Ares” foi aprovada sem necessidade de correções.

Divulgação

“Dentro desse projeto, tínhamos que fazer também uma divulgação cientifica. Vamos fazer o “Sábado Astronômico”, que será neste sábado, 22 de junho, das 9h00 às 11h00. Teremos a sala temática para divulgar nosso projeto, uma palestra sobre ele, competição de torta na cara e campeonato de foguete”, comenta.

Envio da sonda

Dia 24 de agosto, os alunos irão para a USP- São Carlos, contemplar o “Sábado Aeroespacial”, que é o dia que está marcado para enviarem os experimentos. “Só que eles dependem da autorização da Aeronáutica, porque como os objetos serão enviados pela camada da atmosfera, eles precisam analisar as condições de clima. Se estiver chovendo, por exemplo, fica mais difícil. Se não for enviado no dia 24 é porque não houve essa autorização, mas terão workshops, então independente de ser autorizado ou não no dia 24, vamos participar”, completa Sofia.

Premiação

“Eles vão receber uma medalha de participação no ‘Sábado Aeroespacial’, e nosso prêmio para os alunos é leva-los para conhecer a USP de São Carlos e participar dos workshops”, declara.

“Fico muito orgulhosa com tudo isso. Porque enquanto professora, ensino ciências e quero que eles se interessem pela carreira cientifica. O objetivo de ensinar ciências na escola não é de formar cientistas, mas se alguns alunos quiserem seguir essa área, queremos incentiva-los a fazer isso, que não fique apenas no sonho. Queremos que eles realizem. É um orgulho para mim conseguir promover esse projeto em parceria com a USP, com a direção da escola, que sempre nos dá muita força, nos encoraja. Quando precisamos de algum material, eles nos ajudam. Só tenho a agradecer. Já tem alguns alunos querendo participar para o ano que vem, e podemos novamente”, encerra.

Alunos

“Esse projeto pode ajudar a escola em todos os sentidos, porque vai acarretar no conhecimento dos alunos. Convidamos todas as pessoas interessadas a virem aqui na escola nesse sábado, para conhecerem um pouquinho sobre o nosso projeto”, diz Matheus Cardoso.

“O projeto nos ajuda bastante porque acaba criando uma relação maior entre os alunos, por trabalharmos em grupo. É uma grande chance podermos ter o nosso projeto aprovado”, comemora Sara Cardoso.

Por Júlia Sartori

 

Confira também

Prefeitura pode ser obrigada a parar com o tíquete, diz Ernani

Tíquete atual é considerado inconstitucional pelo Ministério Público e a Prefeitura estuda o que fazer …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *