domingo , 22 setembro 2019
Início / Cidade / Prédio da UPA deve ser usado ainda este ano
Secretária de saúde, Márcia Biegas, falou sobre as mudanças previstas para o prédio ( Reprodução: Câmara Municipal)

Prédio da UPA deve ser usado ainda este ano

Previsão é da secretária Márcia Biegas, que aguarda o aval do Ministério da Saúde

Na sessão da Câmara do dia 10 de setembro, terça-feira, a secretária municipal de Saúde, Márcia de Oliveira Campos Biegas, participou da reunião para fazer esclarecimentos aos vereadores e público presente acerca do prédio da UPA, além de assuntos relacionados à pasta. O prédio foi concluído em junho de 2018, mas ainda não foi inaugurado.

Márcia reiterou na Câmara que a decisão da administração municipal é usar o prédio como um centro de especialidades médicas e não como UPA, por conta dos custos. A administração, porém, ainda aguarda o aval do Ministério da Saúde.

Após concluir sua participação na tribuna da Câmara, a secretária concedeu entrevista ao jornal e fez alguns comentários. “Foi uma sessão muito produtiva, acho que as dúvidas dos vereadores foram sanadas. Aceito alguns questionamentos, vou tomar as devidas providências em relação aos apontamentos, mas saí bem tranquila e contente por ter conseguido passar o que é importante”.

“Com a UPA, nossa ideia é otimizar. Fazer com que o munícipe tenha que andar menos, que ele tenha seus problemas resolvidos em um único espaço. Estou esperando o aval do Ministério (da Saúde), para ocupar o prédio ainda este ano. Inicialmente nós pensamos em colocar lá as especialidades médicas, oncologia, setor de ultrassom e o SADI ( Serviço de Atendimento Domiciliar ao Idoso)”, destaca.

“Pelo prédio ter sido construído em um bairro residencial, já temos tido contato com a empresa responsável pelo transporte, a qual se colocou à disposição para instalar linhas de ônibus que levem até lá. Então acho que a distância não será um problema e ficaremos na torcida para que dê tudo certo”, prossegue.

“A gestão da saúde sempre pensa primeiro no usuário, então a humanização, a preocupação, o exercício de se colocar no lugar do outro, é o que fazemos diariamente. Então estamos pensando em facilitar a vida do munícipe. Hoje em dia as coisas estão muito difíceis, tudo muito caro, as pessoas precisam gastar com duas, três passagens de ônibus para pegar um exame, ir até um ambulatório, então nossa ideia é mesmo otimizar”, completa.

Ampliação

“Ano que vem queremos ampliar a fisioterapia, colocar acupuntura, algumas coisas alternativas até para diminuir o número de medicações que os pacientes tomam. Temos uma ideia bem forte de trabalhar a prevenção, e algumas coisas da medicina alternativa que só melhora a qualidade de vida do nosso munícipe”, afirma a secretária.

Confira também

Seis alunos rio-pardenses estão entre os semifinalistas da EPTV

Projeto EPTV na Escola tem como tema para as redações deste ano, as fake news …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *