Início / Últimas Notícias / PRF diz que estradas do país têm 596 pontos de bloqueio, mas não ‘interferem na movimentação de veículos’

PRF diz que estradas do país têm 596 pontos de bloqueio, mas não ‘interferem na movimentação de veículos’

Segundo reportagem do G1, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou no início da tarde deste sábado (26) que, por causa da greve de caminhoneiros, até 11h30 havia 596 pontos de bloqueios nas estradas do país. Segundo a corporação, são bloqueios parciais que não “interferem na movimentação de veículos”.

A greve de caminhoneiros entrou neste sábado no sexto dia. O governo informou que já desbloqueou 544 pontos de rodovias.

Na noite de sexta, havia o registro de 519 bloqueios parciais em rodovias no país. O governo explicou que o aumento do número de bloqueios ocorreu porque alguns que foram liberados acabaram se dividindo. Os caminhoneiros que saíram desses pontos fizeram novos bloqueios em outros locais.

“A PRF não tem registros de grandes dificuldades de circulação de outros veículos”, disse a Polícia Rodoviária Federal em nota divulgada à imprensa.

A corporação informou também que está dando apoio aos manifestantes durante as desmobilizações para garantir a segurança nas rodovias.

“Corredores para a circulação de cargas sensíveis, transporte de animais, gêneros alimentícios, equipamentos essenciais, combustíveis etc. estão sendo mantidos pela PRF, além de prestação de apoio aos manifestantes durante as desmobilizações no intuito de garantir a segurança de todos os usuários das rodovias federais.”, explicou a PRF na nota.

Matéria anterior

 Presidente Temer aciona forças federais para liberar estradas paralisadas pela greve

 

Segundo informações do portal de notícias G1, o governo informou que um decreto será assinado nesta sexta-feira a fim de viabilizar o emprego das forças federais para desbloquear rodovias fechadas pelo movimento dos caminhoneiros.

anúncio do uso das forças federais– que segundo a assessoria do Planalto inclui Forças Armadas, Polícia Rodoviária Federal e Força Nacional de Segurança – foi feito pelo presidente Michel Temer em pronunciamento no Palácio do Planalto.

Devido a paralisação, faltam alimentos em supermercados e combustível em postos de gasolina. O transporte coletivo em diversas cidades foi afetado, indústrias pararam atividades e voos começaram a ser cancelados por falta de combustível nos aeroportos.

O decreto será ainda publicado nesta sexta, em uma edição extra no “Diário Oficial da União”. Mesmo assim, as Forças Armadas já estão mobilizadas, mas vão esperar a publicação para iniciar a operação.

De acordo com o G1 a prioridade é desbloquear as rodovias para garantir abastecimento de combustível em seis aeroportos e duas termelétricas. A ordem será liberar todas as estradas, inclusive os acostamentos.

Segundo informações do governo, caso algum caminhoneiro não queria retirar o caminhão da rodovia, os militares que estivem atuando na operação poderão assumir o controle dos caminhões e dirigir os veículos.

Além disso, os caminhoneiros que resistirem à desocupação poderão ser presos e multados.

Ainda está prevista para a tarde desta sexta-feira uma entrevista coletiva do Ministério da Segurança Pública a fim de explicar como será feita a operação de desbloqueio das rodovias.

Polícia Federal investiga “a associação para prática de crimes contra a organização do trabalho, a segurança dos meios de transporte e outros serviços públicos”.

As informações são do portal G1 de notícias.

 

 

 

Policia Federal investiga se há crime por parte dos caminhoneiros

 

A Polícia Federal anunciou nesta sexta-feira (25) que está investigando se há crime na greve que bloqueia parte das rodovias em todo o Brasil.

Segundo o G1, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse na noite da quinta-feira (24) que há indícios de locaute, ou seja, uma ‘aliança’ entre caminhoneiros autônomos e empresas de transporte para forçar o governo a reduzir o preço do diesel.

Mesmo depois do acordo firmado com o governo ontem (24), a paralização continua em todos os Estados.  “Muitos caminhoneiros, aliás, estão fazendo sua parte, mas infelizmente uma minoria radical tem bloqueado estradas, impedido que muitos caminhoneiros levem adiante o seu desejo de atender a população e fazer o seu trabalho”, afirmou temer.

Fonte-https://g1.globo.com/politica/noticia/policia-federal-investiga-greve-dos-caminhoneiros.ghtml

Matéria anterior

a greve dos caminhoneiros já chega ao 4° dia seguido, os atos dão continuidade a mobilização contra o preço do diesel, há filas nos postos mas falta combustível e os preços variam.

Segundo o portal, os protestos provocaram a redução nas frotas de ônibus em várias cidades e foram usados como desculpas para donos de postos cobrarem valores abusivos de até R$ 10, mas já falta combustíveis e há filas nos postos. São vários os relatos de desabastecimento em supermercados, principalmente de hortifrutigranjeiros; hospitais suspenderam procedimentos por conta de falta de medicamentos; fábricas de diversos segmentos pararam suas produções; há possibilidade de racionamento de energia em Rondônia e falta de água no Rio de Janeiro e regiões do Rio Grande do Sul. Aeroportos funcionam normalmente, mas já há registros de cancelamentos de voos.

Manifestação em São José do Rio Pardo

Na manhã de hoje desde as 7h00, os caminhoneiros de nossa cidade estão realizando uma manifestação pacífica no Posto W3 em virtude das constantes altas no preço do óleo diesel. A paralisação que vem ganhando corpo em toda a nossa região pede a adesão de outros caminhoneiros que são “impedidos” de seguir rumo ao seu destino final.

Segundo Ricieri Andreazzi Neto um dos líderes da manifestação, a intenção do movimento é chamar a atenção dos governantes para a alta do diesel e pela cobrança do eixo erguido nas praças de pedágio.

A intenção é manter a manifestação que pode ser estendida por mais alguns dias.

Todos os caminhões, ônibus sem passageiros e vans são impedidos de seguir trânsito, estão liberados carros de passeio, ambulâncias, cargas com alimentos perecíveis e veículos policiais.       

Corrida aos postos em São José

Riopardenses temem desabastecimento  e correm aos postos de combustíveis

  

Com a paralisação dos caminhoneiros  em todo o  país e o temor  de que os  postos fiquem sem combustíveis, os rio-pardenses estão indo  em grande número tentando abastecer seus carros.

Isso porque os caminhões-tanque que abastecem os estabelecimentos estão sendo parados nos bloqueios. O medo de ficar sem o produto levou muitas pessoas aos postos nesta quarta-feira (23).  A informação é do repórter Luiz Henrique, da Difusora AM, que conferiu a movimentação intensa nos postos locais.

O protesto dos caminhoneiros completa três dias nesta quarta-feira (23). “Hoje, quarta-feira, dia 23,  foi registrado paralizações de caminhões em várias  cidades vizinhas à São José do Rio Pardo, como Casa Branca (sentido Santa Cruz das Palmeiras e São Paulo), Pirassununga, Porto Ferreira, Trevo de Mococa , sentido Ribeirão Preto e outras”, disse Luis Henrique destacando  que nos trechos citados, ocorrem  bloqueios e a passagem principalmente de caminhões está impossibilitada. Ainda segundo Luis Henrique, nesta quinta-feira, dia 24-5-2018 está prevista manifestação de caminhoneiros em São José do Rio Pardo, no Posto W/3

Os atos começaram na última segunda-feira (21).

“ E aqui em São José do Rio Pardo estamos assistindo esta cena pitoresca, uma corrida aos postos de combustíveis, pois os motoristas estão temendo dum desabastecimento por conta da paralisação dos caminhoneiros”, disse Luiz Henrique.

Para piorar, uma reunião entre o governo e lideranças do governo terminou sem acordo no dia de hoje em Brasília…

Confira também

Trânsito no centro é cada vez mais difícil

Trânsito no centro é cada vez mais difícil Para ônibus, então, entrar na Francisquinho Dias ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *