Início / Cidade / Relógio da igreja Matriz volta a funcionar
SAMSUNG CAMERA PICTURES

Relógio da igreja Matriz volta a funcionar

Relógio da igreja Matriz volta a funcionar

Ele ficou duas semanas parado por conta da quebra de uma peça pequena

Entrevista: Luis Fernando

Texto: Eduardo Eron

Está funcionando outra vez o relógio de três faces da igreja Matriz de São José do Rio Pardo, um dos símbolos da cidade. Ele chegou a ficar parado por duas semanas, pelo menos, pela quebra de uma pequena engrenagem. A peça foi consertada e, desta forma, o mecanismo que faz girar os ponteiros do relógio mais famoso do município foi reativado.

Reginaldo Rodrigues, secretário da igreja Matriz, explicou à Gazeta do Rio Pardo que os reparos na peça quebrada foram feitos por um funcionário da própria igreja. Ele lembra que o relógio foi inaugurado junto com a torre católica, em 1964, e que jamais teve suas peças trocadas, só consertadas (quando deram defeito, como ocorreu agora).

Movido à corda, o relógio da Matriz requer esse procedimento a cada cinco dias, mas aí reside o maior perigo e dificuldade: o funcionário que faz isso, João Marcos Silvério, precisa subir duas escadas enormes até alcançar a ponta da torre, que tem 50 metros de altura. E as escadas não têm qualquer proteção lateral ou traseira contra um eventual desequilíbrio de quem estiver nela.

“Houve uma época, anos atrás, que o relógio ficou um tempo parado porque não havia uma pessoa que subisse na torre para dar corda”, lembrou o secretário da Matriz.

Relógio Matriz 

Box

Relógio foi feito pela fábrica Michelini

O relógio da igreja Matriz de São José do Rio Pardo faz parte de uma relação oficial de relógios produzidos pela família Michelini – de origem italiana mas radicada em São Paulo desde 1908. Essa família se dedicou à fabricação de relógios mecânicos para torres de igrejas, fachadas comerciais, estações de trem, prédios e praças públicas.

A empresa Michelini produziu mais de 1.200 relógios ou mecanismos espalhados pelo Brasil e América Latina. Em todas as estações da antiga Companhia Paulista de Estradas de Ferro, por exemplo, encontram-se relógios Michelini.

Os relógios mais conhecidos produzidos pelos Michelini são o da Estação da Luz, instalado em 1951; o do antigo Mappin no centro de São Paulo, instalado em 1933; e o relógio público de Níchile, na esquina da rua São Bento com a avenida São João, em 1935.

Confira também

Câmara homenageia a equipe paraolímpica

Câmara homenageia a equipe paraolímpica Sérgio Henrique Brás fez um relato do projeto e pediu ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *