Início / Cidade / Museu mudará exposição antes da reforma

Museu mudará exposição antes da reforma

Museu mudará exposição antes da reforma

Cristina Andrade diz que haverá duas novas exposições a partir do dia 15 deste mês

O Museu Rio-pardense continua com seu trabalho de expor objetos, documentos, fotos e instrumentos raros e históricos, mas já há previsão de nova exposição e, mais para o final do ano, o início da reforma prometida para o prédio. Sob a curadoria de Cristina Andrade, ele permanece, por enquanto, expondo aquilo que foi inicialmente apresentado ao público na Semana Euclidiana (9 a 15 de agosto).

Cristina explica que, baseado em um livro de Carmem Cecília Trovato Maschietto, esta exposição atual versa a respeito das Semanas Euclidianas do passado, com fotografias de bailes das debutantes, atividades esportivas e culturais, desfiles ocorridos etc.

“Tem camisetas, fotografias, objetos alusivos aos sertões de Canudos”, confirmou a curadora, assegurando que a exposição está muito diversificada e atraente, ressalvando, porém, que ela só irá até o dia 13 de setembro, quinta-feira. Depois disso, uma nova exposição estará sendo montada no Museu, começando provavelmente dia 15 e permanecendo até dezembro.

Essa nova exposição, na verdade, estará focada sobre dois temas: a Ditadura Militar (1964 a 1984) e Hélio Navarro (deputado federal já falecido). “Fizemos reunião com Marco de Martini (para a exposição sobre a Ditadura) e com a viúva de Hélio Navarro, a médica Maria Tereza Navarro, e haverá objetos dele, a vida e obra que ele fez”, explicou.

Reforma do Museu

Cristina Andrade aproveitou a entrevista, concedida a Luis Fernando Benedito, para falar que o prédio do Museu Rio-Pardense deverá passar pela esperada reforma a partir do final deste ano. Ela lembrou da importância disso porque nesta semana aconteceu o incêndio no Museu do Rio de Janeiro, que destruiu parte da história do Brasil.

“Foi muito triste, perdeu tudo pelo descaso dos que falavam que iam reformar e não reformaram, sabiam do quanto de verba que deveriam dar e não deram. Aconteceu esta fatalidade e agora não tem mais volta. Muito triste para um Museu que começou em 1808, era a casa do dom João VI”, lamentou, recordando que esteve lá quando tinha 14 anos de idade.

A curadora garante que o Museu Rio-pardense é bastante procurado, principalmente por escolas que levam seus alunos ali, mas também pelo público em geral e até mesmo por turistas. Sobre o acervo atual, detalhou: “Temos tijolos antigos, capacete da revolução de 1932, réplica da Maria Fumaça, aparelhos gráficos antigos e muitos outros objetos”.

Cristina lembrou, por fim, que o prédio é quase totalmente original, mantendo a estrutura e as características centenárias de sua edificação. A reforma prevista para daqui poucos meses deverá fazer retornar o piso original, com melhorias também no telhado por conta da deterioração em que se encontra.

 

O prédio do Museu Rio-pardense passará por reforma no final do ano

Livros e documentos antigos fazem parte do acervo histórico do Museu

Televisores, carteiras e outros objetos estão na exposição atual

Material encontrado décadas atrás no município estão na exposição

 

Confira também

Plantio de mudas neste sábado

Prefeitura Municipal São José do Rio Pardo   Plantio de mudas  neste sábado A Secretaria de ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *