Início / Cidade / Ernani conta como ocorreu o acidente

Ernani conta como ocorreu o acidente

Ernani conta como ocorreu o acidente

Prefeito voltava de Piracicaba quando, em Mogi, ocorreu a aquaplanagem da picape

O prefeito Ernani Vasconcellos explicou que estava vindo de Piracicaba para São José do Rio Pardo quando aconteceu o acidente em Mogi Guaçu, na SP 340. A ida a Piracicaba foi para dois compromissos: um convênio com a Caixa Federal para a liberação dos recursos de R$ 5 milhões para o término do projeto global do esgoto em São José do Rio Pardo; e a possibilidade de obter parquímetros para a Zona Azul em São José, para, futuramente, serem usados em conjunto com as pessoas que trabalham com isso no município. Ao passar, porém, por Mogi, o acidente ocorreu.

“Quando cheguei em Mogi Guaçu estava chovendo demais e houve aquaplanagem em um trecho de reta na rodovia. A sorte nossa, e Deus nos iluminou, é que caímos no canteiro central, que tem um desnível. Para não passar para o outro lado, ele (o veículo) foi tombando e capotou várias vezes. Graças a Deus ninguém saiu ferido e não nos acidentamos com a pessoa do outro lado, que vinha vindo, porque senão seria terrível mesmo”, recordou, aliviado, em entrevista à Gazeta do Rio Pardo.

Ele disse estar feliz por ter ocorrido apenas danos materiais e ninguém ter-se machucado. Ernani admitiu que às vezes anda rápido em suas viagens, mas garantiu que, naquele dia, isso não ocorria. “É aquaplanagem, é questão de segundos, você não tem controle, não adianta. A caminhonete estava ‘traçada’ (ligada no sistema 4×4) e na reta. Havia um carro do lado direito e eu vinha na minha pista. Com a aquaplanagem eu iria para o lado dele ou para o outro lado. Graças a Deus, fui para o outro lado, teve tudo aquilo, mas não aconteceu nada”, concluiu, agradecendo as pessoas que se preocuparam e ligaram para ele indagando de seu estado físico após o acidente.

A Toyota Hilux teve afundamento do teto com a capotagem ocorrida em Mogi

 

BOX

Hilux foi reprovada no ‘Teste do Alce’

Testes do Alce são testes iniciados na Europa por uma revista especializada, a sueca Teknikens Värld, após várias ocorrências de carros que capotavam quando desviavam de um alce que entrava nas rodovias.

A revista começou então a submeter vários carros ao teste, simulando com cones as mesmas manobras bruscas feitas no volante quando um animal adentra na pista. Os testes eram feitos com veículos a 70 ou 80 km/h, em média, mas em picapes eles foram realizados a 68 km/h. Picapes Ranger, Amarok, S10, Nissan e Hilux foram testadas pela revista nas mesmas condições, usando, claro, piloto profissional.

Dentre as picapes europeias testadas, a Toyota Hilux foi a única que apresentou potencial enorme para acidente: ela capotaria em condições extremas que exijam manobras repentinas, ao contrário das concorrentes. Só não capotou porque o piloto evitou, mas chegou a ficar só com uma roda no solo.

Os primeiros testes ocorreram em 2007, na geração anterior da Hilux, e depois eles foram repetidos na nova geração da picape, em 2016. A revista constatou, nas duas ocasiões, que a Hilux pode ter um centro de gravidade mais alto que as concorrentes e um problema de aderência – fatores prováveis para ela não ter boa performance em curvas acentuadas ou manobras repentinas.

Problema corrigido, mas só na Europa

Após a repercussão mundial sobre seu desempenho desastroso em testes de estabilidade feitos pela publicação sueca Teknikens Värld, a Toyota promoveu alterações no sistema de segurança que deixaram a picape mais segura.

As mudanças, porém, só aconteceram nas Hilux modelo cabine dupla e somente nas vendidas na Europa. Não há previsão de que as alterações cheguem à Argentina, de onde saem os modelos comercializados no Brasil.

As alterações feitas foram extremamente simples. A primeira delas foi a recalibragem do controle eletrônico de estabilidade (ESP), seguida da mudança da calibragem dos pneus com carga máxima – condição na qual as provas são realizadas. Estas pequenas medidas foram suficientes para fazer com que todas as rodas da picape permanecessem em contato com o solo.

Teste oficial feito por revista especializada comprovou a pequena estabilidade da picape

Confira também

Festa dos 35 anos da Cidade Livre FM na AAR

Festa dos 35 anos da Cidade Livre FM na AAR Os 35 anos da Cidade ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *