Início / Cidade / Concluída 1ª etapa do Projeto Av. da Saudade

Concluída 1ª etapa do Projeto Av. da Saudade

Concluída 1ª etapa do Projeto Av. da Saudade

São 25 mil fotografias do cemitério municipal, que deve ter cerca de 47.320 sepultamentos.

Está sendo disponibilizada para a Prefeitura e para a população em geral a primeira etapa do Projeto Avenida da Saudade. O projeto consiste em um acervo contendo 25 mil fotografias dos túmulos no cemitério municipal (incluindo lápides e números dos túmulos), banco de dados dos livros de sepultamento, mapa completo das ruas e túmulos (planta baixa). Um computador com o banco de dados e um sistema de busca do falecido (por número, rua, data de óbito e nome do falecido) facilitará o acesso às informações.

Carmem Cecília Fernandes, professora de Artes Plásticas e Pedagogia, e Henrique Gonçalves Torres, ex-secretário municipal de Turismo e publicitário, foram os idealizadores do projeto em 2014. Naquele ano o então secretário de Obras, engenheiro Alessandro Alex Baldo Barella, solicitou de Carmem um serviço de mapeamento dos túmulos do cemitério municipal, com fotos de todos os túmulos. O objetivo era fazer um recadastramento.

A Prefeitura, porém, não dispunha de recursos para tal contratação. Barella, então, conversou com Henrique Torres, que se mostrou interessado em ajudar e dar sequência no trabalho proposto. Após uma reunião, resolveram fazer o projeto do cemitério digital e, futuramente, disponibilizar tudo em sistema on-line. Surgia assim o Projeto Avenida da Saudade, nome sugerido pelo ex-secretário de Turismo.

Foi solicitado então apoio cultural de empresários locais e também do ex-ministro Luiz Fernando Furlan, casado com uma rio-pardense, que não se negou em atender ao pedido. O grupo Amigos do Rio Pardo e a empresa Pertécnica HSMA Projetos e Consultoria também confirmaram apoio.

Primeiro passo

O primeiro passo foi fazer o mapa, rua por rua, com foto aérea, numeração e fotografias de todos os túmulos. Foram quatro meses de trabalho, feito por Flavia Fernandes, filha de Carmem, com uma média de quatro fotos por túmulo, totalizando 25 mil fotografias, sendo tudo editado por rua, tumulo e pastas. Calcula-se que o número total de corpos enterrados no cemitério municipal seja referente a 47.320 pessoas, fora partes amputadas de corpos, por exemplo, de pacientes diabéticos ou acidentados.

Ampliando a ideia

Durante a execução desta primeira etapa do projeto surgiu a ideia de fazer a digitação de todos os livros de sepultamento e um sistema de busca, que seria colocado na entrada do cemitério municipal, juntamente com um mapa do cemitério (planta baixa), que disponibilizaria todos os números dos túmulos nas respectivas ruas, e, um computador com o banco de dados contidos nos livros de sepultamento. Um sistema de busca do falecido também seria implantado.

“Além de ser um projeto que viabiliza um recadastramento por parte da prefeitura, também é um instrumento de pesquisa para quem quer levantar dados de parentes para complementação de documento de cidadania, para pesquisas escolares, visto que dentro do cemitério encontram-se esculturas italianas, mármores vindos da Europa, serviços de serralheria de detalhamento incrível, enfim uma vasta gama de elementos interessantes que se observados com olhos especiais revelam beleza impar”, comentou Carmem à Gazeta do Rio Pardo.

Para a conclusão da primeira etapa do projeto – implantação do sistema de acesso no cemitério municipal, mapa e fotos-, foi necessário mais apoio cultural e, novamente, Luiz Fernando Furlan atendeu à solicitação. As empresas rio-pardenses participantes desta etapa foram: Marmoraria Asnar, Buffet Trivial, Viverão Floreira e Fazenda, Fran Pack, Malagutti Açougue e Mercearia, Capri Pneus, Frango da Villa, Transportadora Boa Vista, Gráfica Riopardense, FEUC, Mário Gusmão Engenharia, JR Centro Automotivo, Hidratapharma, Pertécnica HSMA Projetos e Consultoria e Grupo Amigos do Rio Pardo.

“Aproveito a oportunidade para agradecer a cada empresário que nos apoiou neste projeto, pois sem este apoio não poderíamos gestar o projeto, assim como não teríamos meios de entregar para a prefeitura o acervo de fotos, banco de dados dos livros de sepultamento, o mapa (planta baixa), assim como não poderíamos disponibilizar para a população rio-pardense este material”, concluiu Carmem.

Segunda etapa

A segunda etapa do projeto será a criação do Cemitério On-line, que consiste num site para a consulta e um aplicativo que, em breve, será disponibilizado.

Este site, além de consultas pertinentes a este certame, também contará com um grupo de empresas prestadoras de serviços de interesses relativos a reformas (marmoraria, empreiteira, lojas de materiais de construção, floriculturas), possibilitando aos familiares de pessoas sepultadas no cemitério municipal e que estão distantes de São José do Rio Pardo, informações a respeito do estado de conservação de seus túmulos.

Expediente:

Idealizadores: Carmem C. Fernandes e Henrique G. Torres

Fotos: Flávia Fernandes da Silva

Digitação dos livros de sepultamento: Henrique Fernandes da Silva

Confecção do Mapa do Cemitério Municipal: Carmem C. Fernandes

Cemiterio1

O banner com todos os detalhes do cemitério e o computador, contendo os dados pesquisados

 

Confira também

3º Concurso de Cafés de Águas da Prata – Prêmio Prefeito José Vilela Junqueira, aconteceu no dia 30 de setembro, no UniFEOB.

3º Concurso de Cafés de Águas da Prata – Prêmio Prefeito José Vilela Junqueira, aconteceu ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *