Início / Brasil & Mundo / ‘História triste’, diz delegado que investiga casal que tomou veneno

‘História triste’, diz delegado que investiga casal que tomou veneno

Morte de filho, picado por escorpião, motivou ação; pai morreu.
Delegado de Ibirá (SP) aguarda laudo da morte do menino.

Pai que tomou veneno e filho picado por escorpião foram enterrados juntos (Foto: Reprodução/TV TEM)
Pai que tomou veneno e filho picado por escorpião foram enterrados juntos (Foto: Reprodução/TV TEM)

 

 

 

 

 

 

 

Depois de ouvir o depoimento da mãe que tomou veneno ao saber da morte do filho de 4 anos por picada de escorpião, o delegado Luciano Birolli Sanches Peres espera o laudo sobre as causas da morte do menino para dar prosseguimento ao caso. Para ele, esse é um dos mais tristes que já viu.

“História triste, das mais tristes que já vi. Ela teria tomado veneno primeiro do que ele. Pelo depoimento dela foi algo automático. Ao saberem da morte do menino, ele [o pai] pegou a mãe, colocou na caminhonete e os dois foram até a fazenda. Ele chegou a estourar três portas para achar o veneno, entraram na caminhonete e se afastaram da sede da fazenda. No canavial, ele começou a ameaçá-la a tomar o veneno”, afirma o delegado.

Natália Fernandes Balieiro, de 29 anos, prestou depoimento na sexta-feira (4) e disse que teria sido obrigada pelo marido a ingerir o veneno, segundo o advogado dela, Élcio Padovez.

De acordo com o delegado, o veneno usado seria um inseticida. “O laudo dele apontou realmente envenenamento, sem nenhuma violência externa mesmo, então ele tomou o veneno mesmo. Agora aguardamos o laudo do menino, que deve chegar em uma semana”, afirma.

Depoimentos
Natália e seus pais prestaram depoimento em Macaubal (SP), mas não quiseram dar entrevistas. “A Natália é inocente no episódio. Ela não contribuiu em nada para o esposo tomar veneno. Portanto, está provado que ela é inocente. Ela não forçou ninguém a tomar veneno e foi forçada a tomar”, afirmou o advogado ao G1.

O depoimento dos três durou cerca de três horas. Eles contaram ao delegado o que aconteceu na fazenda da família no dia em que tomaram o veneno. “Ele [pai da criança] preparou os dois copos e mandou a Natália beber o veneno. Ela sabia que estava bebendo veneno e a mando dele ainda, que estava com uma arma 12 (calibre), uma espingarda na mão. Ele a forçou a beber veneno”, diz o advogado.

Relembre o caso
A criança morreu depois de ser picada por um escorpião, no dia 2 de novembro, em Ibirá (SP). De acordo com a assessoria de imprensa do Hospital da Unimed, a criança foi levada até a unidade, em São José do Rio Preto (SP), pelo pai. O menino foi atendido e transferido para o Hospital da Criança e Maternidade (HCM), devido à gravidade do caso.

Segundo a polícia, os pais ficaram desesperados ao saber da morte do filho e tomaram veneno em uma fazenda em Ibirá (SP). Um amigo que encontrou o casal na fazenda levou os dois até a Santa Casa de Ibirá, onde o pai do menino já chegou desmaiado, não resistiu e morreu. A mãe foi transferida para o Hospital de Base, em Rio Preto, onde ficou mais de 10 dias internada e se recuperou.

Fonte: Marcos Lavezo – Do G1 Rio Preto e Araçatuba

 

Confira também

Psicóloga fala sobre jogo da Baleia Azul

Para ela, os jovens se prendem ao jogo porque alguns estão vivendo “um grande vazio” ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *