Início / Brasil & Mundo / Guilherme Karan morre aos 58 anos no Rio

Guilherme Karan morre aos 58 anos no Rio

Ator sofria de doença rara, a síndrome de Machado-Joseph.

O ator Guilherme Karam (Foto: Reprodução/ TV Globo)
O ator Guilherme Karam (Foto: Reprodução/ TV Globo)

O ator Guilherme Karan morreu na manhã desta quinta-feira (7), no Rio, aos 58 anos, no Hospital Naval Marcílio Dias. Carioca, ele ficou conhecido, principalmente, pelos seus personagens cômicos na TV e no teatro. Longe da TV desde 2005, quando participou da novela “América”, na Globo, Karan foi diagnosticado com uma doença neurológica degenerativa rara, a síndrome de Machado-Joseph. Ele estava internado havia dois anos.

Nos últimos anos, ele viveu isolado em sua casa no Rio. “Ele herdou da mãe [a doença]. Perdi um filho com a mesma doença. Guilherme fica na cadeira de rodas o tempo todo. Tem horas que ele está lúcido e tem horas que não”, disse Alfredo Karan, pai do ator, em entrevista aoJornal Extra, em 2012.

Artistas lamentaram a morte do ator. Bernardo Falcone, ator e músico, disse no Twitter: “Baixo Astral, um dos melhores/piores vilões da minha infância. Adorava o Guilherme Karan…”. Já o ator Eduardo Martini, escreveu no Facebook: “Descansou de uma doença horrivel… Que Deus te receba de braços abertos… Dia triste…”.

A doença é desconhecida pela maioria dos brasileiros. Sua principal característica é a perda dos movimentos até o ponto de o portador precisar de uma cadeira de rodas para se locomover, explicou a neurologista Eliana Meire Melhado, membro da Academia Brasileira de Neurologia.

O nome da doença é uma homenagem ao cientista que a classificou entre as doenças neurológicas.

Entre os sintomas mais comuns está a falta de equilíbrio, e por isso a síndrome é conhecida popularmente como “doença do tropeção”. Outros sintomas são a perda dos movimentos e o impedimento de continuar em pé.

Como a doença é progressiva, os sintomas aparecem lentamente. Por isso o mais indicado é, a partir do diagnóstico, fazer exercícios físicos, fisioterapia e hidroterapia para evitar que se chegue ao ponto de precisar da cadeira de rodas.

Não há medicação específica para tratar a doença e o paciente tende a morrer de complicações. Mas quanto mais fisioterapia fizer, melhor se torna a qualidade de vida desse paciente.

Por conta da doença, fazia Karan sofria de problemas na coluna e recebia a ajuda de dois enfermeiros e de um fisioterapeuta.

Um dos seus trabalhos de maior sucesso na TV foi no humorístico TV Pirata, onde ele interpretou dezenas de personagens, como o Zeca Bordoada.

Fonte: Globo.com/G1

Confira também

Amigos do Rio Pardo: grupo lançará Jornada de Negócios na FER

JONN será promovido pelas empresas 88 Mais FM, Difusora AM e Gazeta do Rio Pardo ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *